Gastão Elias: “Hoje houve muito mais qualidade e estou confiante”

Depois de uma primeira ronda em que se viu obrigado a recuperar da desvantagem de um set e a contrariar o nervosismo para regressar com uma vitória aos torneios do Grand Slam, Gastão Elias exibiu-se a um nível muito superior para deixar pelo caminho o norte-americano Ulises Blanch (6-4 e 6-3) e colocar-se a um passo do quadro principal de singulares do US Open.

“Hoje senti-me muito melhor dentro do campo, mais confortável e muito mais adaptado às condições, que era aquilo em que tinha sentido mais dificuldades na primeira ronda. Tive mais ritmo de jogo e tudo junto fez com que fosse um jogo melhor”, começou por reconhecer nas declarações ao Raquetc depois de carimbar a segunda vitória da semana em Nova Iorque, exatamente três anos depois da última participação a este nível.

Se na antevisão ao duelo Gastão Elias apontara como fundamental “contrariar o serviço dele para entrar no campo e disputar o maior número de pontos possíveis do fundo, que é onde sinto que tenho vantagem”, no rescaldo o tenista português de 30 anos revelou-se satisfeito com a execução da tarefa: “Foi isso mesmo que aconteceu hoje, consegui anular bem o ponto forte dele e fazer com que ele jogasse muitos pontos no serviço. Juntamente com isso também fiz um excelente jogo no meu próprio serviço, fui consistente e assim fiquei tranquilo. Depois tive duas oportunidades, aproveitei-as bem e isso fez a diferença.” 

Com a vitória desta quinta-feira, Gastão Elias colocou-se a um passo de disputar pela segunda vez na carreira o quadro principal do US Open — a primeira foi em 2016, com entrada direta —, mas na ronda de acesso não o espera tarefa fácil: o tenista da Lourinhã vai defrontar Alex Molcan, número 138 mundial e surpreendente finalista do ATP 250 de Belgrado (perdeu para Novak Djokovic) depois de ter passado pelos torneios Challenger que a Federação Portuguesa de Ténis organizou no Jamor e que entretanto já disputou mais duas finais no circuito secundário, tendo vencido a última, imediatamente antes de viajar para os EUA.

“Vai ser um encontro totalmente diferente de quando nos defrontámos e venci no Jamor. Ele é um dos jogadores mais em forma do circuito e também um dos que mais subiu no ranking, está em forma e muito consistente por isso obviamente vai ser muito difícil, mas sei que nalgum momento vou ter as minhas oportunidades e tenho qualidade suficiente para o derrotar, por isso obviamente estou confiante”, concluiu o jogador treinado pelo brasileiro Guilherme Balboa.

Total
1
Shares
Total
1
Share