Djokovic desenvencilha-se de sensação Karatsev e chega à nona final no Australian Open

Novak Djokovic tinha o ténis e as estatísticas do seu lado e na hora da verdade não deu azo a surpresas: a jogar a nona meia-final, o sérvio garantiu pela nona vez o apuramento para a final do Australian Open ao derrotar a sensação da quinzena, Aslan Karatsev, que jogou apenas o nono encontro da carreira em torneios ao mais alto nível.

Com a melhor exibição desde que chegou a Melbourne, o número um mundial venceu por 6-3, 6-4 e 6-2 para confirmar o favoritismo e colocar-se a um passo de começar a temporada com a conquista do 18.º título da carreira em torneios do Grand Slam.

Depois de seis jogos equilibrados, Djokovic ligou o modo irrepreensível e construiu rapidamente uma vantagem de um set e dois breaks que parecia impossível de destruir. Só que, à imagem das rondas anteriores, Karatsev foi à luta e não só devolveu a primeira quebra de serviço como dispôs de um ponto para devolver a segunda, até que o sérvio retomou o comando e voltou a tomar controlo do encontro para bater o russo, que aos 27 anos jogou pela primeira vez um quadro principal de torneios do Grand Slam e tem um preparador físico português.

Apurado para a final do Australian Open pela nona vez na carreira, Novak Djokovic vai procurar, no domingo (08h30 de Portugal Continental), a conquista de um impressionante nono título, que lhe permitiria estender o recorde relativo à Era Open e chegar aos 18 troféus de campeão em torneios do Grand Slam, encurtando a distância para os 20 que Roger Federer e Rafael Nadal partilham.

O adversário do jogador natural de Belgrado só será conhecido na sexta-feira, dia em que Daniil Medvedev (vice-campeão do US Open em 2019) e Stefanos Tsitsipas (pela terceira vez nas meias-finais de um “Major”) vão medir forças.

Horas antes, também na Rod Laver Arena, Naomi Osaka e Jennifer Brady marcaram encontro na final feminina, que acontecerá no sábado.

Total
1
Shares
Total
1
Share