USTA quer transferir torneio de Cincinnati para Nova Iorque para criar uma “bolha segura” de competição

Determinada a resgatar o pouco que resta da temporada de 2020, a United States Tennis Association (USTA) sugeriu às associações de tenistas profissionais transferir excecionalmente o torneio de Cincinnati para Nova Iorque. O objetivo? Criar uma “bolha segura” de competição e organizar quer o Western & Southern Open, quer o US Open no Billie Jean King National Tennis Center, em Flushing Meadows.

A informação foi adiantada esta terça-feira pelo The New York Times, que foi contactado por responsáveis não identificados da federação norte-americana de ténis — uma vez que ainda não estão autorizados a falar sobre o assunto.

Até ao momento, o torneio de Cincinnati está marcado para a semana de 17 a 23 de agosto, com o US Open a começar no dia seguinte, com a fase de qualificação, e a estender-se até 13 de setembro.

O mesmo jornal refere que esta estratégia está a ser analisada pelas associações de ténis masculina e feminina, que precisam de autorizar a transferência do torneio de Cincinnati para Nova Iorque. Na base da sugestão está a concentração de todos os jogadores num único local naquele país, vista como um ponto positivo para as autoridades governamentais e de saúde uma vez que agilizaria todos os processos relacionados com os esforços de contenção da pandemia do coronavírus.

Com mais dúvidas do que certezas em relação ao futuro próximo do ténis internacional, é esperado que as associações se pronunciem sobre o que resta da temporada no próximo dia 15 de junho, estando grande parte da ação dependente do que as federações norte-americana e francesas (e respetivas autoridades de saúde locais) decidirem. Para já, ambas se mantêm otimistas em relação à realização dos respetivos torneios do Grand Slam e os franceses até falam em ter algum público nas bancadas.

Quanto aos norte-americanos, estão a estudar vários cenários que incluem uma quarentena obrigatória para os jogadores, voos charters que lhes permitam chegar ao país e testes diários à covid-19.

Última atualização às 17h44.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."