Pouco a pouco e com várias restrições, o ténis regressa a Inglaterra

A espera terminou: a partir de quarta-feira, o regresso aos courts é permitido em Inglaterra, o primeiro dos países do Reino Unido onde o ténis (e o padel) podem voltar a ser jogados — ainda que com várias restrições — depois da paralisação total devido ao coronavírus.

O anúncio chegou no domingo, quando o primeiro-ministro Boris Johnson afirmou, em conferência de imprensa, que a partir do dia 13 de maio será permitido “fazer desporto”, entre outras atividades que vão regressar ao dia a dia dos britânicos.

Como desporto individual em que a distância entre praticantes é sempre superior à recomendada, o ténis voltará a ser permitido, mas com limitações: máximo de duas pessoas por court (singulares) a não ser que todos os jogadores sejam do mesmo agregado familiar; treinos de “um para um” quando houver um treinador em campo;

Para além destas, a Lawn Tennis Association recomendou medidas transversais aos vários países em que a atividade já foi retomada, entre os quais Portugal: os jogadores devem tocar apenas na sua raquete e material desportivo, evitar partilhar bolas (por cá, a Federação Portuguesa de Ténis aconselha a que só o treinador o faça ou que, no caso de um aluguer sem treinador, cada jogador tenha as suas bolas identificadas) ou até trocar de lados durante a sessão de treino, bem como as restantes medidas de segurança e higienização exigidas pelas autoridades de saúde.

Para já, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte ficam de fora dos países onde a atividade poderá ser retomada, aguardando novas indicações para poderem regressar aos courts.

Pela Europa fora, a última semana também marcou o regresso do ténis a Itália e a França, dois dos países mais afetados pela pandemia do coronavírus.

Total
3
Shares
Total
3
Share