US Open mantém a calma, a data original (para já) e dá um “raspanete” a Roland Garros

Que dia: depois de Roland Garros instaurar (ainda mais) o caos no calendário do ténis internacional e de Wimbledon vir a público afirmar que continua a planear a edição do torneio conforme planeado, foi a vez do US Open se pronunciar. Com elegância, os responsáveis do Major norte-americano deram garantias e, também, um verdadeiro raspanete aos colegas de Paris.

Num breve mas explícito comunicado, a United States Tennis Association (USTA) referiu que “continua a planear o US Open de 2020 e neste momento não vai implementar quaisquer alterações ao calendário.”

“Estes são, no entanto, tempos sem precedente e estamos a avaliar todas as nossas opções, incluindo a possibilidade de adiar o torneio”, continuaram os responsáveis norte-americanos antes de, de forma bem direta, se dirigirem aos colegas deste lado do Atlântico: “Numa altura em que o mundo se está a juntar, sabemos que esta decisão não deve ser tomada de forma unilateral e por isso a USTA só a tomaria depois de consultar totalmente os outros torneios do Grand Slam, a WTA, a ATP, a ITF e os nossos parceiros, incluindo a Laver Cup.

Recorde-se que a decisão tomada pela Federação Francesa de Ténis apanhou todos — incluindo jogadores, ATP e WTA — de surpresa e vem criar sérios problemas a um calendário por si só já complicado de resolver. Entre muitas outras questões, fica no ar o que acontece a todos os torneios de preparação em terra batida, os que têm data prevista para as novas datas de Roland Garros e que tipo de transição e planos serão possíveis com o US Open a terminar (se terminar) apenas oito dias antes.

Última atualização às 23h41.

Total
5
Shares
Total
5
Share