Exatamente um ano depois, Rafael Nadal é outra vez o número um do mundo

Rafael Nadal está de volta ao primeiro lugar do ranking ATP. A subida do tenista espanhol ao topo acontece exatamente 365 dias depois de lá ter estado pela última vez e dá início à 197.ª semana como líder.

Aos 33 anos, o maiorquino tinha garantido o regresso a número 1 desde o mês passado e alcança assim a posição cimeira da tabela classificativa pela oitava vez na carreira, sendo o segundo número 1 mais velho da história desde que o ranking foi introduzido (1973). À sua frente? Apenas Roger Federer (que o fez aos 36 anos, em 2018).

Mas neste momento a batalha de Nadal é outra: na frente do ranking pela primeira vez desde 4 de novembro de 2018, o “Touro” quer terminar a temporada como número 1 e essa luta é apenas com Novak Djokovic, que parte em desvantagem mas ainda lhe pode “roubar” a posição em Londres, no Nitto ATP Finals.

Como se deu a mudança de líder: independentemente do que acontecesse no Masters 1000 de Paris, Djokovic e Nadal iam trocar de posições na segunda-feira imediatamente a seguir ao torneio porque o sérvio ia perder os pontos relativos ao vice-campeonato na capital francesa (600) e no Nitto ATP Finals (1.000), enquanto o espanhol nada tinha a descontar.

A dúvida residia na diferença com que os dois iam sair do Rolex Paris Masters e a conquista de Novak Djokovic (que se traduz num acrescento de 1.000 pontos à classificação) reduziu-a significativamente — são apenas 640 pontos a separar os dois jogadores — e dá esperanças ao agora número 2 na partida para o “Masters” do final do ano. Essas contas estão detalhadas aqui.

Quanto ao total de semanas passadas no topo do ranking, Nadal surge na sexta posição:

310 – Roger Federer
286 – Pete Sampras
275 – Novak Djokovic
270 – Ivan Lendl
268 – Jimmy Connors
197 – Rafael Nadal
170 – John McEnroe
109 – Bjorn Borg
101 – Andre Agassi
80 – Lleyton Hewitt
72 – Stefan Edberg
58 – Jim Courier
43 – Gustavo Kuerten
41 – Andy Murray
40 – Ilie Nastase
20 – Mats Wilander
13 – Andy Roddick
12 – Boris Becker
9 – Marat Safin
8 – John Newcombe, Juan Carlos Ferrero
6 – Yevgeny Kafelnikov, Thomas Muster, Marcelo Rios
2 – Carlos Moya
1 – Patrick Rafter

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."