Nuno Borges regressa ao Campeonato Nacional Universitário dos EUA com uma vitória

Semifinalista em 2017 e 2018, Nuno Borges regressou com uma vitória ao NCAA Singles Championship, a mais importante prova de singulares do circuito universitário norte-americano, onde este ano defende o estatuto de primeiro cabeça de série.

Um mês depois de se ter sagrado campeão da Conferência Sudeste, uma conquista que lhe valeu o estatuto de melhor jogador da conferência pela terceira vez consecutiva, o tenista maiato de 22 anos regressou da melhor forma a um torneio de boas memórias, ao derrotar Alexis Galarneau, da NC State (North Carolina) e número 21 da tabela classificativa, por 6-4 e 6-2.

O jogador português, que defende as cores da Mississippi State — universidade na qual tem batido recordes atrás de recordes — e é atualmente o primeiro classificado do ranking nacional universitário, começou o encontro com um break logo ao primeiro jogo e apesar da resposta do adversário não ter tardado depressa se apressou a tomar o comando da situação, resolvendo o primeiro duelo nos courts do USTA National Campus, em Orlando, na Flórida, com cinco quebras de serviço.

O próximo adversário do jogador português sairá do encontro entre Felipe Sarrasague e Andy Andrade, marcado ainda para esta segunda-feira.

Finalista do NCAA Singles Championship pela primeira vez em 2017, Nuno Borges teve a oportunidade de ir mais longe em 2018, mas não conseguiu aproveitar o match point de que dispôs e acabou por ver Borna Gojo consumar a reviravolta.

Guilherme Osório, o outro tenista português presente no quadro principal de singulares masculinos e que representa a Universidade de San Diego, estreia-se contra Matias Soto, de Baylor.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."