Bagnis, Domingues, Zapata e Kolar: os quatro sobreviventes do Braga Open

Fotografia: Margarida Moura/Federação Portuguesa de Ténis

BRAGA – Em dia de jornada dupla, já se conhecem os quatro nomes que vão regressar ainda esta tarde aos courts do Clube de Ténis de Braga para discutir as meias-finais do torneio. O português João Domingues é um dos quatro semifinalistas e o único tenista luso ainda em prova.

No primeiro encontro do dia no court central, o argentino Facundo Bagnis, número 159 mundial e segundo cabeça de série do torneio bracarense, sobreviveu a uma maratona de duas horas e 31 minutos frente ao holandês Tallon Griekspoor (211.º ATP). O canhoto de Armstrong ainda teve três set points na primeira partida, mas permitiu que o adversário saísse na frente do marcador. Contudo, Bagnis foi capaz de operar a reviravolta e acabou por triunfar com parciais de 6-7(1), 6-4 e 6-4.

Nos courts 1 e 2, o espanhol Bernabe Zapata Miralles e o checo Zdenek Kolar também carimbaram o passaporte para as meias-finais da prova. Zapata, número 246 do Mundo e que afastou no dia de ontem o português Frederico Silva, desenvencilhou-se do alemão Dominik Koepfer (179.º ATP) em apenas dois sets, com parciais de 6-2 e 6-4. Um pouco mais de trabalho teve o checo Kolar, 225.º classificado do ranking ATP, que precisou de três partidas para levar a melhor sobre o francês Geoffrey Blancaneaux (502.º ATP). O tenista de 22 anos, que está também apurado para a final de pares, venceu por 3-6, 6-3 e 6-2.

No derradeiro encontro dos quartos de final da prova, o português João Domingues entrou no court central para defrontar o eslovaco Norbert Gombos (208.º ATP), tendo saído vencedor com parciais de 6-3, 2-6 e 6-2.

As meias-finais disputam-se ainda esta tarde, com Facundo Bagnis a medir forças com Zdenek Kolar e, mais tarde, João Domingues a regressar ao court para defrontar Bernabe Zapata Miralles.

Daniel Sousa
Adepto do desporto em geral mas com especial carinho pela "bolinha saltitona". O bichinho surgiu ainda Rafael Nadal não tinha mangas e não mais saiu. Chegada a oportunidade do Raquetc, juntamente com a minha ambição de ser jornalista, foi fácil aceitar juntar-me à equipa.