Fred Gil lamenta oportunidades desperdiçadas e admite quebra física

Frederico Gil

Fred Gil não ficou a dever nada ao norte-americano Tim Smyczek no duelo desta segunda-feira entre ambos, alusivo à segunda ronda da fase de qualificação do Millennium Estoril Open.

O português teve as suas oportunidades na partida inaugural, mas não foi feliz, e depois foi-se algo abaixo fisicamente. Ainda assim, a exibição realizada deixou-o satisfeito e confiante para os próximos confrontos.

“Acho que fiz um bom jogo. Tive as minhas chances no 4-3 (15-40) no primeiro set e a partir desse momento quebrei ligeiramente fisicamente, para mim a chave do encontro esteve aí. A meu ver eu estava superior a ele e a jogar bastante bem e foi pena não ter conseguido quebrar e fazer o 5-3, pois acredito que tinha conseguido fechar o primeiro set“, analisou em declarações à organização do torneio.

“Ele teve muito mérito no segundo set, sempre muito consistente e eu quebrei um bocadinho fisicamente e ele jogou a um nível médio, mas eu saí um bocadinho do jogo também. Ainda não estou na minha forma para jogar a este nível, consigo jogar muito mais que isto. Também preciso de estar mais forte fisicamente, com mais resistência para conseguir aguentar o jogo de uma forma mais tranquila”, acrescentou.

Terminada a prestação no Millennium Estoril Open, o ex-número 1 português vai manter-se no Clube de Ténis do Estoril nos próximos dias, antes de rumar a Braga para disputar a edição inaugural do Challenger local.

“Vou investir bastante na parte física, porque tive esta lesão no pé (contusão óssea) e só há duas semanas e pouco é que estou a conseguir treinar a 100% e a jogar. Mas está muito melhor, já não tenho dores”, referiu.

João Correia
Licenciado em Sociologia e Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação (ISCTE). Privilegiado por viver numa das melhores eras da história da modalidade.