Espanha, Sérvia e Itália estreiam-se com vitórias nas Davis Cup Finals

As Davis Cup Finals tiveram esta sexta-feira o segundo dia de prova, com mais estreias e mais vencedores. Espanha, Sérvia e Itália superaram os compromissos inaugurais e estão na liderança dos respetivos grupos.

Em Madrid, a seleção espanhola não teve problemas em bater o Equador por uns claros 3-0. Depois da ausência de última hora de Carlos Alcaraz, que testou positivo à Covid-19, os espanhóis apoiaram-se em Feliciano López para conquistar o primeiro ponto. O veterano de 40 anos, número 106 no ranking ATP, bateu Roberto Quiroz (291.º ATP) por 6-3 e 6-3 para adiantar la roja no marcador.

O segundo encontro de singulares colocou frente a frente Pablo Carreño Busta (20.º ATP) e Emilio Gómez (149.º ATP), os melhor cotados de cada equipa. O equatoriano ameaçou a surpresa ao vencer o primeiro set, mas Carreño Busta deu a volta, venceu por 5-7, 6-3 e 7-6[5] em mais de duas horas e 30 minutos e garantiu a vitória espanhola. Ainda assim, nos pares, Carreño Busta e Marcel Granollers confirmaram o pleno com uma vitória por 6-4, 6-7[5] e 7-6[2] sobre Gonzalo Escobar e Diego Hidalgo. A Espanha lidera o Grupo A, onde também está a Rússia, que ainda não se estreou.

Saltamos para Innsbruck, onde a Sérvia aplicou a mesma receita à Áustria. Depois de Dusan Lajovic (33.º ATP) ter conseguido arrancar uma vitória a ferros sobre Gerald Melzer (287.º ATP) ao fim de quase três horas, com parciais de 7-6[5], 3-6 e 7-5, coube a Novak Djokovic estrear-se com a oportunidade de garantir o triunfo da sua equipa. O líder do ranking não desiludiu e bateu Dennis Novak (118.º ATP) por 6-3 e 6-2. No par, Nikola Cacic e Filip Krajinovic bateram Oliver Marach e Philipp Oswald por 7-6[4], 4-6 e 6-3. Os sérvios saem na frente do Grupo F, que tem ainda a Alemanha como integrante.

O embate mais equilibrado em termos de marcador surgiu em Turim, onde a Itália bateu os Estados Unidos por 2-1. Os transalpinos tiraram o melhor proveito dos singulares e garantiram cedo o triunfo, tendo depois perdido um par que já não os impedia de ficar com a vitória.

No primeiro encontro, Lorenzo Sonego (27.º ATP) foi mais sólido do que Reilly Opelka (26.º ATP) e bateu o norte-americano por 6-3 e 7-6[4]. Na segunda partida, Jannik Sinner (10.º ATP) também teve que defrontar um big server, no caso John Isner (24.º ATP), mas o encontro tornou-se completamente desequilibrado. Em pouco mais de uma hora, Sinner venceu por 6-2 e 6-0 e assegurou o triunfo italiano. No par, Rajeev Ram e Jack Sock conquistaram o ponto de honra norte-americano, ao baterem Fabio Fognini e Lorenzo Musetti por 7-6[5] e 6-2. A Itália sai na frente do Grupo E, onde também está inserida a Colômbia, que ainda não jogou.


Total
4
Shares
Total
4
Share