Medvedev junta-se a Djokovic em final de luxo no Masters 1000 de Paris

De um lado o número um mundial, do outro o número dois mundial. De um lado o campeão do Australian Open, de Roland-Garros e de Wimbledon, do outro o único homem que o conseguiu parar, na derradeira ronda do US Open. De um lado o recordista de títulos, do outro o campeão em título. Novak Djokovic e Daniil Medvedev vão estar frente a frente na final do ATP Masters 1000 de Paris, o derradeiro encontro em torneios desta categoria em 2021.

O primeiro ao fazê-lo foi o sérvio, que ao derrotar Hubert Hurkacz por 3-6, 6-0 e 7-6(5) garantiu a sétima temporada da carreira como número um mundial (um recorde absoluto), e a ele seguiu-se o russo, que arrasou Alexander Zverev (6-2 e 6-2 em 80 minutos).

Já sem hipóteses de alcançar o troféu de número um mundial (a ultrapassagem no ranking é impossível antes de 2022, mas este ano o título é atribuído ao primeiro classificado da “Race to Turin”), a Medvedev restou lutar por mais uma presença em finais de ATP Masters 1000 e essa tarefa o moscovita cumpriu com distinção, ao aproveitar a maior frescura física para passar com distinção por Zverev — campeão em Viena no último domingo.

Assim sendo, a final em Paris-Bercy (o bairro em que foi construída a sala de espetáculos e eventos desportivos) colocará frente a frente os dois grandes favoritos, sendo apenas a segunda nos 36 anos de história do evento a jogar-se nestas condições (a primeira foi a de 1990 entre Stefan Edberg e Boris Becker, ganha pelo sueco).

Marcada para as 15 horas locais, 14 horas de Portugal Continental, será o 10.º encontro da história entre Djokovic e Medvedev. O sérvio lidera o frente-a-frente, por 5-4, mas o russo venceu 4 dos 6 encontros com o sérvio como número um mundial.


Total
12
Shares
Total
12
Share