Monfils confirma regresso em noite que podia ter sido (quase) ao contrário

Dezasseis meses depois, Gael Monfils voltou a registar vitórias consecutivas e qualificou-se para os quartos de final do ATP Masters 1000 de Toronto, no Canadá, que serão os primeiros para o francês precisamente deste fevereiro de 2020, quando a pandemia de covid-19 ainda não passava de uma miragem e tudo fazia crer que acabaria o ano como um dos melhores do mundo. Em frente seguiram ainda Daniil Medvedev, Hubert Hurkacz, Roberto Bautista Agut e Reilly Opelka numa noite que esteve perto de conhecer um final diferente.

Aos 34 anos, e já casado, “La Monf” parece ter reencontrado finalmente a forma e, sobretudo, a alegria que lhe permite tornar-se não só num dos maiores entertainers do circuito, como sobretudo num jogador capaz de tudo um pouco e foi bem à sua imagem que, com bastante calma, afastou o em forma Frances Tiafoe (que na jornada anterior tinha afastado Denis Shapovalov), por 6-1 e 7-6(2), para registar a quinta vitória da temporada.

A superioridade de Monfils foi tal que o francês venceu 10 dos 13 primeiros jogos do encontro e nem o break de vantagem perdido ao 4-3 o desestabilizou, com o ex-top 10 a preservar a vantagem psicológica e caminhar tranquilamente para um tie-break que dominou desde o início.

Nos quartos de final, o número 22 mundial vai defrontar outro norte-americano: John Isner, que depois do sexto título em Atlanta chegou aos oito triunfos consecutivos ao surpreender o número sete mundial, Andrey Rublev, com os parciais de 7-5 e 7-6(5) para carimbar o 18.º apuramento da carreira para quartos de final de Masters 1000 (o melhor resultado foi alcançado em 2018, quando venceu em Miami).

Ainda na metade superior do quadro, o russo Daniil Medvedev confirmou o estatuto de primeiro cabeça de série e venceu James Duckworth por 6-2 e 6-4, enquanto o polaco Hubert Hurkacz teve de se aplicar para superar Nikoloz Basilashvili, por 6-7(7), 6-4 e 6-4.

Foi na última secção deste National Bank Open Presented by Rogers que houve mais emoção, com Roberto Bautista Agut e Reilly Opelka a marcarem encontro depois de se desenvencilharem de match points nos respetivos encontros. O espanhol de 33 anos (17.º do ranking) deu a volta a três pontos de encontro e uma desvantagem de 5-3 no último set para derrotar Diego Schwartzman por 6-3, 3-6 e 7-5 exatamente dois anos depois da primeira vitória sobre o argentino, enquanto o norte-americano anulou um match point no tie-break da segunda partida para superar o sul-africano Lloyd Harris por 4-6, 7-6(6) e 7-6(4).

Total
1
Shares
Total
1
Share