Zverev nega Golden Slam a Djokovic e discute o ouro olímpico com Khachanov

O sonho do Golden Slam terminou: Alexander Zverev derrotou Novak Djokovic por 1-6, 6-3 e 6-1 e agarrou a última vaga na final dos Jogos Olímpicos de Tóquio, um resultado que afastou o número um mundial da possibilidade de terminar 2021 com os quatro títulos do Grand Slam (esse cenário continua a ser possível) e o ouro olímpico, que irá ou para o alemão, ou para o russo Karen Khachanov.

Depois de um primeiro parcial que foi mais equilibrado do que o resultado faz parecer, Zverev assumiu em definitivo as rédeas do encontro. O alemão apoiou-se no serviço para superar as dificuldades e revelou maior assertividade nas oportunidades para quebrar o serviço a Djokovic. O número sete mundial conseguiu comandar as trocas de bola do fundo do court e sempre que Djokovic vinha para a rede, Zverev aparecia do outro lado com uma pancada de esquerda que rendeu vários winners.

Os winners, de resto, foram o segredo do alemão para superar o líder do ranking mundial. Depois de um primeiro parcial em que assinou dez winners, Zverev elevou o nível e conseguiu mais 34 nos dois parciais seguintes, tendo cometido apenas oito erros não-forçados na soma dos dois últimos sets.

Aos 24 anos, Alexander Zverev vai procurar o ouro olímpico pela primeira vez na carreira. O alemão, que venceu o ATP Finals em 2018 e foi finalista do US Open em 2020, vai medir forças com um finalista surpreendente: Karen Khachanov, que derrotou Pablo Carreño Busta em dois sets.

Notícia atualizada pela última vez às 14h19.

Total
19
Shares
Total
19
Share