Clara Burel. Da final em Oeiras ao top 100 WTA em apenas três meses

Clara Burel chegou a Portugal em grande, com uma vitória autoritária na estreia, mas foi em esforço e com problemas físicos nos dois tornozelos que chegou à então maior final da carreira no Oeiras Open, que não chegou a disputar. Três meses depois da campanha no ITF de 60.000 dólares que a Federação Portuguesa de Ténis organizou na terra batida do Jamor, a tenista francesa, ex-número um mundial de juniores, alcançou este sábado a primeira final no circuito WTA e garantiu a estreia no top 100.

Tal como em Oeiras, também em Lausana, na Suíça, Clara Burel entrou com tudo: a jovem de 20 anos superou Susan Bandecchi por 6-0 e 6-2 na primeira ronda, mas na segunda já sentiu mais dificuldades e precisou de três partidas para deixar pelo caminho Kamilla Rakhimova (1-6, 6-3 e 6-3). Depois, qualificou-se para as meias-finais com um triunfo por 7-5 e 6-2 sobre Fiona Ferro (52.ª e segunda cabeça de série) e já este sábado prolongou a caminhada inesquecível ao vencer a compatriota Caroline Garcia (atual 76.ª classificada, que chegou a ser número quatro em 2018) com os parciais de 5-7, 6-2 e 6-2.

Já com quatro vitórias em solo suíço, a jovem francesa está a um passo de conquistar o primeiro título da carreira em torneios WTA, exatamente três meses depois de ter jogado a final em Portugal e dois meses e meio após ter colocado as mãos noutro troféu de um ITF de 60.000 dólares, mas no de campeã, ao vencer em Saint-Gaudens, no Sul de França.

A separá-la do feito, a atual 125.ª classificada no ranking terá nada mais, nada menos do que a primeira cabeça de série, Tamara Zidansek (50.ª), mas independentemente do desfecho da final de domingo Clara Burel já sabe que no dia seguinte surgirá pela primeira vez entre as 100 melhores tenistas do circuito feminino, apenas dois anos e meio depois de ter passado pela liderança do ranking mundial de juniores.

Total
1
Shares
Total
1
Share