Tsitsipas vence duelo de altos e baixos e estreia-se em finais do Grand Slam em Roland-Garros

Stefanos Tsitsipas é o primeiro finalista de Roland-Garros. O grego, de 22 anos, derrotou Alexander Zverev por 6-3, 6-3, 4-6, 4-6 e 6-3 após 3h37 de um encontro com altos e baixos para carimbar o acesso à final de um torneio do Grand Slam pela primeira vez. O derradeiro adversário do ex-campeão do Millennium Estoril Open sairá do duelo entre o número um mundial, Novak Djokovic, e o recordista de títulos em Paris, Rafael Nadal.

Na quarta meia-final da carreira a este nível, o número cinco mundial entrou com o pé direito e dominou os dois sets inaugurais ao superar Zverev no posicionamento no court (o alemão insistiu em ficar bem atrás da linha de fundo, apesar de ser recompensado na maioria das vezes em que deu passos à frente) e na distribuição de jogo para se colocar mais perto do que nunca da primeira decisão de um torneio do Grand Slam. Mas Zverev, mais experiente, agarrou-se com unhas e dentes à possibilidade de alcançar a segunda final — foi vice-campeão do último US Open — e tentou contrariar os números, que o colocavam atrás do adversário em praticamente todos os níveis.

Já com um longo historial em cinco sets, o tenista alemão conseguiu renascer na terceira partida para dar um novo rumo ao encontro, mas o parcial decisivo voltou a ser favorável a Tsitsipas, que com muito discernimento e nervos de aço (teve quatro match points no serviço de Zverev ao 5-2, não os aproveitou, mas não tremeu e fechou o encontro no jogo seguinte) carimbou aquela que o próprio considerou como “a vitória mais importante da carreira.”

Menos de 24 horas depois de Maria Sakkari ter desperdiçado um match point na meia-final contra Barbora Krejcikova, Stefanos Tsitsipas tornou-se no primeiro tenista grego da história a inscrever o nome na final de singulares de um torneio do Grand Slam. Aos 22 anos e 305 dias, o grego natural de Atenas transformou-se, ainda, no finalista mais novo de torneios “Major” desde Andy Murray, vice-campeão do Australian Open 2010 aos 22 anos e 261 dias, e na final de domingo procurará tornar-se no campeão mais novo desde Juan Martin del Potro, que conquistou o US Open de 2009 com 20 anos e 355 dias.

Se em 2018 disputou a primeira final ao nível ATP em terra batida (em Barcelona) e em 2019 conquistou o primeiro título na superfície (em pleno Millennium Estoril Open), em 2021 Stefanos Tsitsipas já ergueu o primeiro troféu de campeão da carreira num ATP Masters 1000, em Monte Carlo, mas foi no Nitto ATP Finals de 2019 que venceu o título mais importante. No domingo tudo pode mudar, mas para isso o mais recente finalista de torneios do Grand Slam terá de ultrapassar um de dois enormes obstáculos: ou o número um mundial Novak Djokovic ou o “Rei da terra batida” Rafael Nadal, 13 vezes campeão de Roland-Garros.

Total
0
Shares
Total
0
Share