Djokovic volta a ser feliz em casa e pisca o olho a Roland-Garros

10 anos depois, Novak Djokovic foi feliz em Belgrado pela terceira vez, ao derrotar o estreante em finais Alex Molcan por 6-4 e 6-3, em 88 minutos, para erguer o 83.º título da carreira ao mais alto nível.

Super-favorito à vitória no segundo ATP 250 a realizar-se no seu clube de ténis (no primeiro foi surpreendido por Aslan Karatsev nas meias-finais), o número um do mundo acusou o momento e cedeu por três vezes o serviço antes de conseguir superiorizar-se ao 255.º do ranking na primeira partida. Depois de 45 minutos atribulados, Djokovic elevou o nível, puxou da potência e descolou para a vitória, assinada em 88 minutos.

Se para Novak Djokovic a semana em Belgrado foi sinónimo de glória e motivação extra para atacar o título em Roland-Garros a partir de terça-feira, a verdade é que também Alex Molcan tem muitos motivos para estar satisfeito: o eslovaco de 23 anos, que há uma semana passou o qualifying e perdeu na primeira ronda do ATP Challenger 125 de Oeiras, só tinha jogado dois torneios ATP em toda a carreira, registando zero triunfos em quadros principais à chegada à Sérvia.

Com esta campanha, passará do 255.º lugar (que já era o melhor da carreira) para o 181.º quando o ranking for atualizado.

Total
0
Shares
Total
0
Share