Nuno Borges “vinga-se” da Maia e volta a somar uma das melhores vitórias da carreira no Jamor

OEIRAS — Cinco semanas depois de se ter despedido do Complexo Desportivo do Jamor com uma final (de singulares) e um título (de pares) no segundo Oeiras Open, Nuno Borges regressou com boas sensações à casa do ténis português, ao derrotar o espanhol Bernabé Zapata Miralles (126 do ranking ATP) por 6-4 e 6-4 para se qualificar para a segunda ronda do Oeiras Open 125.

O encontro desta terça-feira foi o segundo entre o português e o espanhol, que na reta final de 2020 levou a melhor na casa de Borges, o Maia Open, mas desta vez — e mesmo embalado pela conquista do Challenger de Heilbronn — não foi capaz de reunir argumentos para travar o poder de fogo do tenista da casa, que carimbou a vitória depois de apenas 63 minutos.

Moralizado pela recente campanha no Millennium Estoril Open e pela final no ITF Majadahonda, Borges cedo mostrou ao que vinha: agressivo no fundo do campo, a fazer mover o adversário, testando um eventual cansaço do valenciano. Apesar de ter desperdiçado o break no quinto jogo, o maiato quebrou decisivamente no nono, aproveitando alguns erros de Zapata, para servir para fechar o primeiro set, que o completou com quatro bons serviços a partir de 0-30.

As esperanças do espanhol saíram goradas e o break madrugador do português encaminhou-o para mais um excelente triunfo nas recentes vítimas de Borges. Em termos de ranking do opositor, esta vitória autoritária só é superada pelas três no Clube de Ténis do Estoril, que exemplifica a boa fase do tenista de 24 anos. Para o ‘game, set and match’ desta terça-feira, o serviço foi essencial, com sete ases e apenas seis pontos cedidos com a primeira bola.

Na segunda ronda do segundo maior torneio da carreira de Nuno Borges, o número cinco nacional – e a estrear-se no top 300, com o 296 posto – pode encarar um compatriota, caso João Domingues prevaleça no embate que já decorre com Pedro Martinez, quarto cabeça de série.

Total
12
Shares
Total
12
Share