Portugal despede-se com vitória autoritária; Chile, Israel, Rússia e Holanda confirmam semana perfeita em Vilamoura

VILAMOURA — A seleção nacional portuguesa garantiu, esta quinta-feira, o sétimo lugar da classificação no Grupo 2 da qualificação para o BNP Paribas World Team Cup Finals — o Campeonato do Mundo em Equipas de Ténis em Cadeira de Rodas — que a Premier Sports e a Federação Portuguesa de Ténis organizaram na Vilamoura Tennis & Padel Academy, em Vilamoura. No derradeiro dia de competição, Chile e Israel venceram os dois grupos do torneio masculino, a Rússia triunfou na prova feminina e a Holanda conquistou a primeira edição do qualifying da categoria quad.

Depois de duas derrotas nas primeiras jornadas, primeiro para a Áustria (por 3-0) e depois para o Quénia (por 2-1 depois de uma reviravolta), Portugal conseguiu despedir-se com um dia perfeito frente à Bielorrússia ao vencer os dois encontros de singulares. No primeiro encontro, o estreante Fábio Reis (número 323 do ranking mundial) impôs-se a Vadzim Lipinski (528.º) em dois sets, com 6-0 e 6-3, para somar a primeira vitória com a camisola portuguesa ao peito. Depois, o número um e atual campeão nacional, Jean Paul Melo (132.º no ranking) venceu Artsiom Yarmak (498.º) por 6-0 e 6-0 e confirmou a vitória, com a equipa bielorrussa a abdicar do encontro de pares, alegando lesão de um dos tenistas.

“O balanço é positivo. Foi pena não termos gerido o stress de ontem [frente ao Quénia] da forma mais adequada para obtermos aí a nossa primeira vitória, mas foi uma aprendizagem e creio que vamos tirar boas ilações do que aconteceu. Os nossos jogadores portaram-se bem e daqui para a frente a nossa preocupação é começar a pensar noutros resultados, porque queremos elevar Portugal a outro patamar”, afirmou o selecionador nacional, Joaquim Nunes, depois de três dias de competição em Vilamoura.

Carlos Leitão, oito vezes campeão nacional: “É importante renovarmos a nossa seleção porque os jogadores mais novos vêm para nos ajudar. O João e o Fábio portaram-se bem, a primeira vez é sempre difícil, mas acho que isto lhes deu motivação e acredito que ao longo dos próximos tempos vamos conseguir ter bons resultados. É evidente que desta vez o sorteio não nos foi favorável, porque a Áustria é uma grande seleção, mas hoje conseguimos uma boa vitória frente à Bielorrússia para fechar a qualificação, no entanto queríamos um bocadinho mais.”

Jean Paul Melo, campeão nacional em seis ocasiões e atual detentor do título: “Foi uma boa qualificação. Queríamos um bocadinho mais do que o sétimo lugar, que não é aquilo de que estávamos à espera, mas no final conseguimos uma boa classificação e daqui para a frente queremos continuar a evoluir para darmos um passo em frente e podermos ganhar encontros difíceis como o de ontem, frente ao Quénia.”

João Couceiro, que se estreou por Portugal depois de ver o sonho adiado em 2020, devido à pandemia: “É para chegar à seleção nacional que trabalho, foram três anos muito intensos que culminaram nesta estreia e acho que globalmente estivemos bem. No primeiro dia defrontámos uma seleção muito forte, no segundo o Quénia era mais acessível, mas acabou por conseguir vencer-nos e hoje aproveitámos as nossas oportunidades para levar de vencida a Bielorrússia e terminarmos com boas sensações.”

Fábio Reis, chamado pela primeira vez à seleção nacional: “Foi um sonho tornado realidade. É para isto que eu trabalho, para representar Portugal e levar a equipa ao topo. Foi uma experiência boa e vou sempre recordar a minha estreia na seleção a jogar em casa, vai ficar para a minha história.”

Para além do encontro de Portugal, a derradeira jornada de ténis em cadeira de rodas em Vilamoura teve como foco as quatro finais disputadas, duas delas no torneio masculino, que foi dividido em dois quadros.

No Grupo 1, Israel confirmou o favoritismo perante a Polónia (2-0) graças às vitórias de Guy Sasson (32.º) por 6-2 e 6-0 frente a Maksymilian Szary (119.º) e de Adam Berdichevsky (22.º do ranking e melhor classificado entre os jogadores que vieram a Vilamoura) com 7-5 e 6-3 no duelo com Kamil Fabisiak (23.º).

No Grupo 2, o de Portugal, o Chile derrotou a Áustria por 2-0 na final, com Brayan Tapia (86.º) a dar a volta a Joseph Riegler (36.º) para vencer por 3-6, 6-3 e 6-3 e conquistar o primeiro ponto, seguido do triunfo decisivo de Alexander Cataldo (25.º) sobre Nico Langmann (30.º), por 6-2 e 6-1.

A competição feminina contou com a presença de menos equipas (11) e, por isso, disputou-se apenas num grupo, com a Rússia a levar de vencida a Alemanha, por 1-0 (vitória de Ludmila Bubnova, número 35, por 6-1 e 6-4 contra Britta Wend, sem classificação, e desqualificação das germânicas no segundo singular).

Na categoria quad, que pela primeira vez integrou o evento de qualificação para o Campeonato do Mundo, a vitória sorriu à Holanda. Apoiada em dois jogadores do top 6 mundial, a seleção europeia foi rápida a triunfar sobre o brasil: primeiro, Niels Vink (sexto do ranking) superou Leandro Gonçalves (sem ranking) por 6-0 e 6-0; depois, Sam Schroder (terceiro classificado na hierarquia) venceu Ymanitu Silva (10.º) com 6-2 e 6-0; e no par, já sem influência no resultado final, os dois holandeses triunfaram sobre os dois brasileiros, com 6-0 e 6-0.

Com a fase de qualificação em Vilamoura concluída, o BNP Paribas World Team Cup terá o seu pináculo entre os dias 27 de setembro de 3 de outubro, na Sardenha, em Itália.

Em 2022, a fase final será disputada em Portugal pela primeira vez, com a Vilamoura Tennis & Padel Academy a servir de palco a um torneio que só não recebeu em 2020 devido à pandemia de covid-19.

CLASSIFICAÇÕES FINAIS:

QUALIFICAÇÃO MASCULINA — GRUPO 1:

  1. Israel — qualificado para a fase final
  2. Áustria — qualificado para a fase final
  3. Sri Lanka
  4. Grécia
  5. Eslováquia
  6. Croácia
  7. Hungria
  8. Tanzânia
  9. Dinamarca
  10. México

QUALIFICAÇÃO MASCULINA — GRUPO 2:

  1. Chile — qualificado para a fase final
  2. Áustria — qualificado para a fase final
  3. Austrália
  4. Alemanha
  5. Roménia
  6. Quénia
  7. Portugal
  8. Bielorrússia
  9. Guatemala
  10. Costa Rica

QUALIFICAÇÃO FEMININA:

 

  1. Rússia — qualificado para a fase final
  2. Alemanha — qualificado para a fase final
  3. Brasil — qualificado para a fase final
  4. Turquia — qualificado para a fase final
  5. França
  6. México
  7. Quénia
  8. Bulgária
  9. Ucrânia
  10. Lituânia
  11. Costa Rica

QUALIFICAÇÃO QUAD:

  1. Holanda — qualificado para a fase final
  2. Brasil — qualificado para a fase final
  3. Turquia
  4. Alemanha
  5. Suécia
Total
17
Shares
Total
17
Share