Anhelina Kalinina e Su Jeong Jang protagonizam final no CETO

Sara Falcão/FPT

Anhelina Kalinina e Su Jeong Jang são as grandes finalistas do Oeiras Magnesium-K Active Ladies Open, ITF de 25.000 dólares que a Federação Portuguesa de Ténis e o CETO (Clube Escola de Ténis de Oeiras) organizam de 18 a 25 de Abril. Num dia com jornada dupla nos singulares (com exceção de Kalinina), houve também a consagração da holandesa Suzan Lamens e da russa Marina Melnikova como campeãs na variante de pares.

Face às condições meteorológicas da passada sexta-feira, todas as tenistas precisaram de realizar dois encontros neste sábado. A ucraniana Anhelina Kalinina, terceira cabeça-de-série, foi a única a livrar-se de trabalhos extras, em virtude do seu duelo dos quartos de final ter sido concluído no dia de ontem, ainda antes da forte chuva caída no CETO.

Além dessa ‘ajuda’, a tenista de 24 anos passou pouco tempo em court no encontro que disputou. A antiga 107 do ranking WTA, agora 164, precisou apenas de 78 minutos para bater a suíça Simona Waltert – que logo pela manhã tinha tirado de cena a cotada Mandy Minella, quinta favorita à vitória final e antiga 66 do mundo, por 6-1 e 7-6(7), num compromisso suspenso ontem a 5-0 -, com duplo 6-2, contrariando a potência da jovem de 20 anos (259.ª), impondo-se nos braços-de-ferro do fundo do campo e aplicando criteriosamente o amortie de esquerda.

“Foi um encontro muito rápido porque a minha adversária jogou de forma muito agressiva, tal como eu. Por isso não posso dizer que foi muito duro fisicamente, foi mais difícil pela dificuldade em controlar a bola”, analisou Kalinina após garantir o acesso à 20ª final da carreira. “Não acho que esteja a jogar bem. Os resultados estão a ser fruto da minha luta e do facto de fazer o meu trabalho. Algumas coisas continuam a não estar a resultar, mas está a ser uma boa preparação para Roland-Garros, pois quanto mais encontros disputar melhor serei nos torneios maiores. Estou feliz por ter ganho hoje para ter a oportunidade de melhorar amanhã”, explicou a ucraniana – semifinalista na semana anterior, no torneio de 60.000 dólares jogado no Jamor -, em busca do 11º troféu, primeiro desde Junho de 2019.

Praticamente cinco horas após o término da primeira meia-final, Su Jeong Jang carimbou a outra vaga na final deste domingo. A sul-coreana de 26 anos, situada no posto 320 do ranking mundial, necessitou de praticamente três horas para garantir o acesso à última partida do torneio. Primeiro ultrapassou a oitava cabeça-de-série Julia Grabher por 7-5 e 6-2. Depois do descanso regulamentar, a antiga 120 do mundo voltou a jogo para um emocionante duelo, um dos melhores do torneio, onde salvou dois match points (o primeiro com um amortie fabuloso) face à australiana Seone Mendez (284.ª e tenista que tinha eliminado a russa Marina Melnikova recuperando de 0-5 no terceiro e decisivo set), num embate terminado já perto das 20h. 6-1, 4-6 e 7-6(5) foram os parciais da dura batalha.

“Foi um encontro muito duro. Ela é uma excelente jogadora do fundo do campo e serve bem. Só que lutei por todas as bolas e continuei a fazer o meu jogo”, referiu no final, extremamente fatigada. “Claro que vou estar cansada amanhã, mas vou tentar dar o meu melhor”. Jang amanhã jogará a 23ª final do currículo e vai procurar obter o nono título, segundo de 2021. “A Kalinina tem pancadas muito fortes, serve bem e bate muito cedo na bola. É muito boa jogadora”, considerou a sul-coreana, que lidera o mano a mano frente à favorita com dois triunfos para nenhum desaire.

O momento alto da semana acontece às 10h no court Central do CETO e tem transmissão em direto na Sport TV.

Suzan Lamens e Marina Melnikova campeãs de pares

Suzan Lamens e Marina Melnikova ergueram o troféu de pares do Oeiras Magnesium-K Active Ladies Open ao derrotarem as russas Natela Dzalamidze e Sofya Lansere por 6-3 e 6-1. A dupla, orientada pelo mesmo técnico, conquistou o segundo título enquanto parceria. Para a holandesa foi a 11ª conquista na variante (já tinha saído vencedora em Montemor-o-Novo no ano de 2019). Já para Melnikova foi o 15º – ela que chegou a ser 80 do mundo em pares – e foi importante para deitar para trás a dura derrota em singulares horas antes.

Total
1
Shares
Total
1
Share