O dia memorável de Tiago Torres: “Significa muito, andava à procura deste ponto há dois anos”

Sara Falcão/FPT

OEIRAS — Foi um dia inesquecível aquele que marcou o arranque do Oeiras Open, com quatro tenistas portugueses a entrarem com nota positiva no qualifying para assinarem as primeiras vitórias das carreiras no ATP Challenger Tour. Um deles foi Tiago Torres, que após uma reviravolta com contornos épicos não escondeu a satisfação.

“Sinto-me muito bem, estou muito feliz. Não estava nada à espera deste resultado, principalmente por ter pela frente um adversário difícil, mas também porque não tenho vindo a jogar bem nem a ser consistente dentro do campo. E ganhar depois de estar a perder por 6-1 e 4-1 frente a um adversário que teoricamente é melhor do que eu deixa-me ainda mais contente, porque significa que consegui superar-me”, contou o jovem português de 18 anos na conferência de imprensa que se seguiu à vitória sobre Nicholas David Ionel (541.º), por 1-6, 6-4 e 6-2.

Questionado sobre o significado da vitória, o jogador da Lisbon Tennis Academy não hesitou: “Significa muito. Já andava à procura deste ponto há dois anos, há dois anos que faço maratonas em qualifyings e pré-qualifyings e nunca tinha conseguido. Desta vez tive a sorte de ter o wild card, que quero agradecer à Federação Portuguesa de Ténis, e depois tive a sorte de conseguir ganhar depois de dar o meu máximo.”

Convidado pela organização para o Oeiras Open, que marcou a estreia em torneios do ATP Challenger Tour, Tiago Torres contou como viveu as últimas 24 horas, desde o momento em que recebeu a notícia até à entrada em campo: “Assim que recebi o wild card tentei ligar para o meu pai, mas fiquei sem bateria. Por isso fui de moto para casa, todo contente, e quando cheguei os meus pais já sabiam, ficaram orgulhosos de mim. Depois tentei desfrutar ao máximo e ainda bem que correu bem, porque assim amanhã estou cá para poder jogar mais um encontro.”

Total
2
Shares
Total
2
Share