João Sousa eliminado na estreia em 2021 que marcou o regresso aos Challengers

Três meses e meio depois do último encontro oficial, João Sousa regressou esta terça-feira à competição num palco a que já não estava habituado — o circuito Challenger — mas não conseguiu entrar com o pé direito em 2021, ao ser eliminado na primeira ronda em Antália, Turquia.

Número 93 do ranking ATP, o tenista português de 31 anos defendia o estatuto de primeiro cabeça de série, mas não teve um sorteio nada favorável e sentiu dentro do court as dificuldades que se previam, com o espanhol Carlos Taberner 144.º) a vencer por 6-1 e 6-4.

A realizar o primeiro encontro da temporada e depois de ter testado positivo e recuperado da covid-19 (foi essa a razão que o impediu de jogar o Australian Open), Sousa acusou a falta de ritmo e competição perante um adversário que não só vai no quarto torneio de 2021, como usou a reta final de 2020 para se preparar para o novo ano — uma decisão que o premiou com o troféu de finalista do Maia Open, onde só foi travado por Pedro Sousa. Mas também a falta de tempo à superfície foi evidente, com o curto tempo de preparação (só mudou do piso rápido para a terra batida há cerca de 10 dias) a ter um impacto negativo na movimentação.

Em relação ao encontro, no primeiro set, Taberner entrou “a abrir” e fez o break logo ao terceiro jogo, em que dois ases de Sousa não foram suficientes para travar as investidas do espanhol de 23 anos. Ao quarto jogo, o português conseguiu entrar no marcador e um passing shot de direita cruzada no jogo seguinte deu-lhe o primeiro break point do encontro, mas Taberner assumiu a iniciativa para o salvar e num piscar de olhos não só dilatou a vantagem, como fechou o parcial em 27 minutos.

Com João Sousa a sentir dificuldades claras em acelerar e imprimir profundidade à pancada de direita (em que apoia muito o seu jogo) num court pesado e lento, Carlos Taberner foi sempre o melhor em campo e depois de um início de segundo set marcado por um maior equilíbrio voltou a passar para a frente para tomar controlo do encontro, ao longo do qual o vimaranense manifestou por várias vezes frustração por não conseguir dar mais velocidade à bola.

A participação em Antália foi a primeira de João Sousa num torneio do ATP Challenger Tour desde que conquistou a edição única do Guimarães Open, em julho de 2013. E tudo indica que não será repetida nos próximos tempos: o jogador português planeia jogar os ATP 250 de Córdoba (a partir de 22 de fevereiro), Buenos Aires e Santiago do Chile antes de regressar ao Masters 1000 de Miami, nos EUA.

Total
3
Shares
Total
3
Share