Inês Murta dá boa réplica a top 150 mundial, mas acaba derrotada no Porto

Beatriz Ruivo/FPT

A jornada desta quarta-feira no Porto Open arrancou com a portuguesa Inês Murta a ter que defrontar a primeira cabeça de série, a suíça Leonie Kung (145.ª WTA), na primeira ronda. A tenista algarvia ofereceu uma excelente réplica à helvética, mas ainda assim acabou derrotada em dois sets, com os parciais de 6-3 e 7-6(8).

Ao contrário do que se pudesse prever na teoria, o encontro não foram favas contadas para Kung. A suíça conseguiu o primeiro break do encontro, é certo, mas Murta devolveu logo a seguir a quebra de serviço e mostrou que estava em court para lutar até ao último ponto. Uma dupla falta, porém, deu à melhor cotada um novo break, que a catapultou para a vitória na primeira partida.

Apesar do desaire no primeiro parcial, a confiança de Inês Murta não se alterou. A algarvia continuou a lutar e teve por duas vezes um break de vantagem na segunda partida. Em ambas, contudo, acabou por sofrer o contra break e o set acabou decidido no tiebreak. No desempate, Murta arrancou melhor e abriu uma vantagem de 4-1, mas Kung não baixou os braços e foi encurtando a margem até finalmente passar para a frente e dispor do primeiro match point. A tenista portuguesa, de 23 anos, salvou o primeiro e, posteriormente, um segundo match point, antes de chegar também ao set point. Nessa altura, Kung acabou por vencer três pontos consecutivos e não só apagar o set point, como fechar um encontro muito equilibrado e que se resolveu nos detalhes.

Com o desaire na ronda inaugural, termina a edição 2020 do Porto Open para Inês Murta, que já tinha sido derrotada anteriormente na estreia em pares. A presença portuguesa no quadro principal está agora entregue a Francisca Jorgeque já está na segunda ronda – e Maria Inês Fonte, que entra em court ainda esta quarta-feira para defrontar a segunda cabeça de série, Cristina Bucsa (155.ª).

Total
1
Shares
Total
1
Share