Djokovic reencontra-se com a glória em Roma e estabelece um novo recorde

Desqualificado em Nova Iorque, Novak Djokovic reencontrou-se com os dias de glória em Roma, onde derrotou Diego Schwartzman por 7-5 e 6-3 para conquistar o 36.º título da carreira em torneios ATP Masters 1000. É um novo recorde — e logo no dia em o sérvio deu um passo importante em direção a outro registo histórico.

A semana na cidade eterna não foi a mais brilhante da carreira de “Djoker” em termos de prestações, mas é essa uma das principais razões pelas quais é número um do mundo pela 286.ª semana na carreira: mesmo longe do seu melhor em vários momentos, mesmo depois de um dos episódios mais negros da carreira, conseguiu desenvencilhar-se de toda a oposição e acabar a semana a celebrar.

A última vítima foi o “pequeno-grande” Diego Schwartzman, responsável pela eliminação de Rafael Nadal nos quartos de final e autor de uma vitória em mais de três horas frente a Denis Shapovalov, menos de 24 horas antes do começo da final. No dia mais importante da carreira, o argentino conseguiu deixar o cansaço para trás e fazer frente ao sérvio, mas a lógica acabou por prevalecer e foi o mais experiente dos dois quem sorriu por último perante os cerca de mil espetadores que nos últimos dois dias deram ao Internazionali BNL d’Italia uma nova vida.

Com o 31 triunfo (em 32 encontros) e o quarto título da época, Novak Djokovic estabeleceu um novo recorde de títulos em ATP Masters 1000, distanciando-se uma vez mais de Nadal. O sérvio e o espanhol são dois dos três grandes favoritos para Roland Garros, a par de Dominic Thiem (vice-campeão nas últimas duas edições e recém-vencedor do US Open), que há muitos anos não dividia tantas opiniões em relação ao maior candidato…

Total
1
Shares
Total
1
Share