FPT divulga plano de retoma da atividade: alto rendimento regressa já, torneios talvez em junho

Beatriz Ruivo/Federação Portuguesa de Ténis

A Federação Portuguesa de Ténis (FPT) divulgou, no início de noite desta segunda-feira, o “Plano de Retoma de Atividade” que tem vindo a trabalhar diretamente com o Instituto Português do Desporto e Juventude e Secretaria de Estado da juventude e Desporto.

O plano prevê “um regresso à atividade de forma progressiva e com a máxima segurança” e está dividido em cinco fases — todas elas referidas como “uma previsão da FPT” e que “poderão sofrer alterações consoante a evolução do estado pandémico.” A primeira diz respeito à retoma de atividade dos atletas de alto rendimento; depois, seguir-se-ão as medidas que vão permitir, ainda que com restrições, a retoma da atividade nos clubes; e só depois, talvez em junho, se dará o regresso dos torneios nacionais, seguidos, em último lugar e como esperado, pelos internacionais.

No documento orientador disponível no website oficial, a Federação Portuguesa de Ténis destaca que a partir de dia 22 de abril “as instalações desportivas sob gestão da FPT podem abrir os seus courts de ténis para treinos de atletas de alto rendimento e atletas do CAR – FPT”, assim como “os clubes com atletas de alto rendimento podem abrir os seus courts de ténis para treinos de atletas de alto rendimento desde que não haja limitações das autoridades locais”. É deixado o alerta para a necessidade de todos os envolvidos respeitarem as normas de higienização e segurança apresentadas num dos documentos secundários.

A segunda fase estipulada pela Federação Portuguesa de Ténis já contempla uma abertura parcial dos courts dos clubes para a prática e treino de singulares. O objetivo é alcançá-la no mês de maio e, a verificar-se, passarão a ser possíveis alugueres e aulas até dois alunos.

A terceira fase é apontada para um período entre maio e junho e diz respeito à abertura das instalações de apoio e atividades em grupo. A confirmar-se, já serão autorizados treinos em grupo, formações, conferências e outras atividades externas, ainda que de forma condicionada.

Só na quarta fase, apontada para o mês de junho, é que é considerado o regresso da competição ao nível nacional.

A última fase do plano de retoma de atividade prevê “a abertura à organização de eventos e competições internacionais”. O objetivo é alcançá-la em julho e significaria a “abertura total da atividade”, mas como todas as outras etapas está dependente da evolução da pandemia do coronavírus.

Na mesma comunicação, a Federação Portuguesa de Ténis voltou a salientar que ainda esta semana “serão apresentadas as medidas de apoio à retoma da atividade tenística” que foram prometidas no final da última semana. Para um futuro próximo fica, também, a comunicação das medidas de prevenção das fases 2 e 3 do plano de retoma de atividade, uma vez aprovadas junto das entidades governamentais competentes.

Última atualização às 21h29.

Total
22
Shares
Total
22
Share