Aos 33 anos, Nadal pode enfrentar o maior desafio da carreira

Numa altura em que existem mais questões — vai o US Open realmente manter a data? Irá a ATP congelar os pontos até se voltar a jogar? E qual será a relação com Roland Garros? — do que respostas, o cenário atual aponta para o maior desafio da carreira de Rafael Nadal.

É que, se tudo se mantiver como está, o tenista maiorquino terá de defender quase metade dos seus pontos ATP… Em duas semanas.

Atualmente, o número dois mundial tem 9.850 pontos e assim continuará caso seja decretado o congelamento do ranking até que a temporada retome a atividade. No entanto, depois do anúncio da Federação Francesa de Ténis (FFT) em relação a Roland Garros, Nadal acaba por ser um dos tenistas que mais sofre com a alteração de calendário.

Isto porque com o Grand Slam francês a ter agora o início marcado para uma semana depois do término do US Open, o espanhol pode estar na iminência de ter de defender os dois Majors que conquistou em 2019 em semanas praticamente consecutivas, o que deixa em aberto a possibilidade de Nadal ter de jogar e vencer 14 encontros à melhor de cinco sets em pouco mais de um mês para “segurar” os 4.000 pontos que conquistou na epoca transata — uma “fatia” naturalmente considerável e que pode fazer uma grande diferença na classificação do final do ano…

As certezas ainda não são muitas (para não dizer nenhumas), mas se tudo avançasse conforme o anunciado até esta quarta-feira Rafael Nadal teria pela frente uma das tarefas mais árduas da carreira.

Mais uma vez, resta esperar. Esperar que a ATP se pronuncie em relação à surpresa que todos receberam, esperar que a pandemia seja ultrapassada e esperar, claro, que o circuito regresse.

Total
12
Shares
Total
12
Share