Nadal regressa, brilha no par ao lado de López e Espanha chega à 10.ª final na Taça Davis

Kosmos Tennis

Irrepreensível em singulares, irrepreensível em pares e cada vez mais difícil de pôr em palavras. Assim está a ser a semana de Rafael Nadal, a figura de cartaz e mais do que isso grande herói da Espanha, que graças ao número 1 do mundo derrotou a Grã-Bretanha para chegar pela 10.ª vez na história à final da Taça Davis.

Uma vez mais, a Caja Mágica de Madrid voltou a ser palco de uma jornada de loucos: começou a jogar-se às 10h30 locais, às 17h21 o Canadá reservou o primeiro lugar na decisão e só mais de sete horas depois, às 00h35, é que a Espanha conseguiu agarrar a última vaga.

A grande figura foi, uma vez mais, Rafael Nadal. Pela terceira vez consecutiva, o líder do ranking mundial viu-se obrigado a vencer o encontro de singulares e cumpriu a tarefa com distinção para voltar pouco depois ao court, ao lado de Feliciano López, e voltar a fazer das suas: a dupla espanhola lutou, lutou e lutou até que carimbou um triunfo épico (mais um), este sobre Jamie Murray e Neal Skupski por 7-6(3) e 7-6(8) após 2h17 e depois de salvarem quatro set points no último tie-break.

Os números comprovam a importância do tenista maiorquino para a caminhada da “armada” espanhola: venceu os 7 encontros que disputou (3 dos quais em pares) e não perdeu um único jogo de serviço (!), conseguindo inclusive ser o melhor dos quatro jogadores em todos os encontros de duplas de que fez parte.

Com a terceira reviravolta dramática da semana, a Espanha junta-se ao Canadá na final da primeira edição da Taça Davis sob o formato de Davis Cup Finals. No total da competição será a 10.ª vez que os espanhóis vão discutir o título — foram campeões em 2000, 2004, 2008, 2009 e 2011 e vice-campeões em 1965, 1967, 2003 e 2012.

A final está marcada para as 16 horas locais de domingo, 15 horas em Portugal Continental. O alinhamento só será oficializado uma hora antes e só nessa altura se dissiparão as dúvidas em relação ao primeiro singulares: este sábado, Pablo Carreño-Busta (que na jornada anterior substituiu Roberto Bautista Agut) deu lugar a Feliciano López por estar lesionado. Do lado do Canadá deverá ir a jogo Vasek Pospisil, seguido de Denis Shapovalov para o tão aguardado e possivelmente decisivo encontro com Rafael Nadal. Só o tempo o dirá…

Atualizado às 23h49.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."