Frederico Silva vence batalha de 3 horas e garante estreia no top 200 mundial

Uma notícia, muita informação para dar: Frederico Silva derrotou esta quinta-feira um ex-número um mundial de juniores ao cabo de mais de três horas de jogo para se qualificar para os quartos de final do segundo torneio do ATP Challenger Tour organizado em Shenzhen, na China.

A vitória garante ao jogador natural das Caldas da Rainha a entrada no top 200 do ranking ATP pela primeira vez na carreira, tornando-se no 13.º tenista português da história a consegui-lo.

À procura de mais um bom resultado em solo asiático, para onde partiu com o grande objetivo de garantir um lugar na fase de qualificação do Australian Open (por esta altura já praticamente assegurado), o ainda número 202 do mundo recuperou da derrota num primeiro set muito equilibrado para superar Chun-Hsin Tseng por 6-7(5), 6-3 e 6-4 ao cabo de impressionantes 3h08.

Natural do Taipéi, Tseng sagrou-se campeão dos torneios juniores de Roland Garros e Wimbledon no verão de 2018, em que também celebrou a chegada ao primeiro lugar do ranking mundial do escalão. Atualmente é jogador da Academia de Patrick Mouratoglou, em França, e em maio esteve à conversa com o Raquetc durante o Challenger de Braga.

Com esta vitória, Frederico Silva (que é o 13.º cabeça de série) chega aos quartos de final de um Challenger pela sétima vez em 2019 e já sabe que vai ter como adversário Jason Jung, também do Taipéi e quinto pré-designado.

O 13.º português a chegar ao top 200 ATP

A excelente campanha em Shenzhen coloca Frederico Silva no 188.º lugar do ranking ATP. Apesar de provisória (porque está dependente dos resultados finais da semana), a subida já é suficiente para confirmar a entrada do jovem caldense no top 200 pela primeira vez — no pior cenário possível seria ultrapassado por oito jogadores.

Desta forma, Frederico Silva vai juntar o nome aos dos compatriotas João Sousa, Gastão Elias, Rui Machado, Fred Gil, Nuno Marques, Pedro Sousa, João Cunha e Silva, João Domingues, Emanuel Couto, Leonardo Tavares, Bernardo Mota e Gonçalo Oliveira (ordenados de acordo com a melhor classificação de carreira) no grupo de portugueses que conseguiram inscrever o nome entre os 200 melhores jogadores do mundo.

Atualizado às 11h33.

Total
55
Shares
Total
55
Share