Estrela de Roland Garros trava Pedro Sousa na final do Challenger de Florença

Stefan Polini/Ubitennis

Depois de duas vitórias nas duas primeiras finais do ano, Pedro Sousa falhou este domingo a terceira conquista em torneios do ATP Challenger Tour. O número dois nacional (e 124.º ATP) cedeu em dois sets, parciais de 6-2 e 6-3, para Marco Trungelliti em Florença, Itália.

Campeão em Blois (França), no mês de junho, e em Meerbusch (Alemanha), em agosto, o lisboeta de 31 anos estava a um passo de igualar Rui Machado — curiosamente, um dos treinadores que agora o acompanha — no topo da lista de portugueses com mais títulos no circuito Challenger.

Só que pela frente voltou a ter uma das suas “bestas negras” no circuito, o argentino Marco Trungelliti — conhecido por no ano passado ter viajado de carro desde Barcelona até Paris para assinar, jogar e ganhar como lucky loser em Roland Garros, onde dias antes já tinha derrotado o português na fase de qualificação.

Tal como cinco dos seis encontros anteriores entre Sousa e Trungelliti, também este caiu para o lado do argentino de 29 anos (atual 205.º classificado no ranking ATP mas que já foi 112.º). Com três breaks no primeiro set (Pedro Sousa ainda conseguiu devolver a primeira quebra mas perdeu de imediato o serviço) e dois no segundo (onde o português voltou à carga mas uma vez mais não conseguiu levar avante a resposta) acabou por ser o jogador natural de Santiago del Estero a celebrar para, um ano depois de ter perdido a final deste mesmo torneio, sair da cidade italiana com o segundo título da carreira no ATP Challenger Tour.

Quanto a Pedro Sousa, não agarrou o título mas garantiu uma subida de nove lugares no ranking (vai ser 115.º na atualização desta segunda-feira) e viaja para Barcelona, onde vai disputar mais um torneio deste circuito, com boas sensações.

Última atualização às 15h55.

Total
4
Shares
Total
4
Share