Cinco anos depois, a história é outra: Nadal derrota Kyrgios em Wimbledon

Fotografia: ATP Tour

Há cinco anos, Nick Kyrgios “anunciou-se ao mundo” ao derrotar Rafael Nadal rumo aos quartos de final de Wimbledon. Esta quinta-feira, contudo, “a música foi diferente”: o espanhol levou de vencida o australiano em quatro partidas para chegar à terceira ronda do Grand Slam britânico.

Naquele que era um dos encontros mais aguardados desta segunda eliminatória desde o momento em que foi conhecido o quadro principal masculino, o ‘Touro de Maiorca’ precisou, como seria de esperar dado o talento e à vontade nesta superfície do jovem aussie, de se empenhar bastante mas acabou por ser mais eficaz nos momentos importantes e tal valeu-lhe um triunfo por parciais de 6-3, 3-6, 7-6(5) e 7-6(3).

O primeiro set começou de forma ideal para o atual número dois mundial, que conseguiu logo ao segundo jogo uma vantagem preciosa através de uma quebra de serviço. A partir desse break, Nadal, terceiro cabeça de série da edição deste ano, foi capaz de manter os seus jogos de serviço com uma certa tranquilidade ao longo do desenrolar desse parcial inaugural para ficar com uma vantagem importante no marcador.

Só que a resposta de Kyrgios não se faria esperar: cada vez mais confortável no jogo do mais cotado oponente, o tenista natural de Camberra fez o break no segundo jogo da segunda partida e de seguida confirmou esse avanço para ficar com 3-0. Apesar do contra break de Nadal no sétimo jogo, aquela vantagem acabaria por ser decisiva na medida em que o australiano continuava na frente e até de seguida quebrou novamente o serviço para depois fechar o set e deixar tudo igual novamente.

Uma das fases-chave (senão a principal) veio com o terceiro parcial: num set em que nenhum dos dois vacilou nos seus jogos de serviço, acabou por ser o tiebreak (que nas cinco anteriores ocasiões foi sempre favorável ao australiano) a intervir como tira-teimas. E aí, o mais forte acabou por ser Rafael Nadal, que construiu uma vantagem de 5-2 que, pese a boa reação do número 43 do ranking, se revelou larga demais para ser ultrapassada. E assim o jogador de 33 anos de idade passava novamente para o comando da partida.

Tal como o terceiro, também o quarto set foi irrepreensível na questão de ambos os protagonistas terem segurado os seus jogos de serviço sem enfrentar qualquer ponto de break (o que sucedera igualmente no parcial anterior). Foi, por isso, necessário recorrer-se outra vez a um desempate via tiebreak que, mais uma vez, favoreceu um mais consistente Nadal e lhe concedeu assim um difícil mas decerto saboroso triunfo, o 50.º só em SW19.

Superado um dos desafios mais complicados que poderia ter pela frente nesta fase da competição, Rafael Nadal continua assim em prova nesta 133.ª edição de Wimbledon e já sabe que o seu próximo opositor no All England Club será o francês Jo-Wilfried Tsonga (72.º ATP), que bateu o lituano Ricardas Berankis (77.º) por 7-6(4), 6-3 e 6-3.

Total
10
Shares
Total
10
Share