Herói em 2018, Marco Trungelliti despede-se de Roland Garros na primeira ronda do qualifying

Um ano depois de ter sido protagonista de um dos episódios mais mediáticos da história do ténis com lucky losers envolvidos, Marco Trungelliti (140.º) não vai voltar a viver a mesma fama: o tenista argentino caiu à primeira na fase de qualificação de Roland Garros, vendo afastadas todas as hipóteses de repetir a presença dos últimos dois anos no quadro principal.

Em 2018, o tenista natural de Santiago del Estero abraçou uma viagem de 10h de carro com o irmão, a mulher e a avó, de 88 anos, para chegar a tempo à capital francesa, onde uma assinatura a horas lhe valeria a presença no quadro principal de singulares e, pelo menos, 40.000 euros. Acabou por vencer uma ronda e praticamente duplicar a quantia.

Agora, um ano depois, a “sorte” foi outra: Marco Trungelliti, que entretanto voltou à ribalta pelos esforços que tem desempenhado no combate à corrupção no desporto, não conseguiu estar à altura do desafio e foi rapidamente afastado por Hugo Gaston, que venceu pelos parciais de 6-4 e 6-1 para chegar à segunda eliminatória.

Seria, por isso, necessário um enorme milagre para Trungelliti voltar a ser repescado: à sua frente terá todos os jogadores que perderem na segunda e terceira ronda da fase de qualificação, ou seja, pelo menos 32 jogadores. Desta vez pode mesmo regressar a casa de malas feitas…

Razões para sorrir tem João Domingues. O jogador português de 25 anos está a disputar pela segunda vez na carreira o qualifying de Roland Garros e esta segunda-feira somou a primeira vitória na terra batida parisiense.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."