João Sousa derrotado na primeira ronda do Masters 1000 de Madrid

Fotografia: Fernando Correia/Millennium Estoril Open

Não correu pelo melhor o regresso de João Sousa ao quadro principal de singulares do Mutua Madrid Open, torneio que disputou pela última vez em 2017 – na temporada passada não o fez devido ao triunfo no Millennium Estoril Open.

O número um nacional foi derrotado pelo francês Adrian Mannarino (56.º ATP), com parciais de 7-5, 5-7 e 6-1, e despediu-se da vertente de singulares na ronda inaugural, à semelhança do que aconteceu em 2017 (na altura às mãos de Fabio Fognini).

Após um primeiro parcial com toda uma série de breaks dos dois lados – foram sete quebras de serviço no total, incluindo os primeiros quatro jogos -, o tenista orientado por Frederico Marques ainda foi capaz de vencer a segunda partida e de forçar um decisivo parcial. Contudo, os problemas no serviço voltaram a surgir – na terceira partida, Sousa venceu apenas 43% dos pontos disputados com a primeira bola – e o gaulês aproveitou para carimbar o triunfo em duas horas e 22 minutos.

Francamente melhor no capítulo da resposta do que propriamente no serviço, o tenista natural de Guimarães começou o último set a pressionar o “saque” do oponente, mas não conseguiu converter nenhum dos três break points de que dispôs. Melhor nesse aspeto esteve Mannarino, que capitalizou as duas oportunidades que teve.

A participação do número um português em Madrid continua na variante de pares, onde garantiu o apuramento para a segunda ronda ao lado de Guido Pella. A dupla luso-argentina aguarda pelo vencedor do confronto entre os oitavos cabeças de série, Henri Kontinen John Peers, e os australianos Nick KyrgiosBernard Tomic.

Daniel Sousa
Adepto do desporto em geral mas com especial carinho pela "bolinha saltitona". O bichinho surgiu ainda Rafael Nadal não tinha mangas e não mais saiu. Chegada a oportunidade do Raquetc, juntamente com a minha ambição de ser jornalista, foi fácil aceitar juntar-me à equipa.