Uma academia, ser selecionador nacional ou treinador. Está tudo em cima da mesa para João Sousa

A carreira de João Sousa está longe de chegar ao fim tal como o próprio afirma, mas isso não impede o português de pensar no futuro e no que poderá fazer quando pendurar as raquetes.

Apesar de não pensar demasiado no que quer fazer após reforma, o tenista vimaranense não esconde que já tem alguns planos sobre as suas ambições futuras, pelo menos no pensamento. A ligação ao ténis é uma vontade e o regresso a Portugal também.

“Sempre tive o objetivo de voltar e estar mais próximo da minha família, não sei se em Guimarães ou se em Lisboa, por exemplo, mas quero voltar para Portugal”, garantiu o número um português em declarações à Lusa, ele que está emigrado em Barcelona desde os 15 anos

“Imagino-me casado, com filhos, dois ou três, e oxalá possa estar ligado ao ténis. Não sei se com uma Academia, se como selecionador nacional, se como treinador, mas quero manter-me ligado a esta modalidade que amo e à qual posso transmitir alguma coisa da minha aprendizagem”, garantiu o melhor português de todos os tempos.

Francisco Semedo
Licenciado em Turismo e a tirar Mestrado em Ciências da Comunicação, desde cedo se interessou pelo ténis. Começou aos 9 e desde então tem um olhar atento e constante de tudo o que se passa naquela que considera ser a melhor modalidade a todos os níveis.