Nuno Borges regressa aos triunfos na terra e no Porto Open

Nuno Borges

PORTO – Em dia de tarefa dupla, Nuno Borges cumpriu com sucesso o primeiro desafio: venceu o encontro de singulares para regressar com sucesso à terra batida, onde não jogava desde novembro, e chegar à segunda ronda do Porto Open.

Pouco habituado a jogar no pó de tijolo desde que viajou para os Estados Unidos da América, onde estuda e joga, o jogador da Maia esteve a treinar na superfície durante cerca de uma semana e isso refletiu-se dentro do campo.

Porque desta vez, ao contrário do que tinha acontecido na edição transata, soube jogar em terra batida, fazendo das características do piso suas vantagens para, em apenas 69 minutos, derrotar o qualifier britânico Dan Dowson (carrasco de Afonso Portugal na derradeira ronda do qualifying) por 6-2 e 6-2.

Com esta vitória, Nuno Borges — que este verão voltou ao circuito pela primeira vez em sete meses com finais na Póvoa de Varzim e Castelo Branco e meias-finais em Setúbal, para além das duas finais ganhas em pares — torna-se no primeiro tenista português a passar à segunda ronda do Porto Open.

Quinto cabeça de série, o português de 21 anos (número 578 do ranking ATP) aguarda, agora, pela conclusão do encontro entre Riccardo Di Nocera e Socrates Tsoronis para conhecer o seu próximo adversário.

Mais logo, há ainda a primeira ronda de pares a disputar, ao lado de Francisco Cabral (com quem é o terceiro cabeça de série) e contra os também portugueses Simão Alves e Manuel Gonçalves.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."