Montanha russa no topo: Nadal recupera número 1 mas Federer parte na pole position em Wimbledon

O ano ainda vai a meio, mas no topo do ranking ATP já se verificaram seis alterações (um máximo desde que, em 1999, se verificaram oito). Tudo por causa dos dois suspeitos do costume: Roger Federer e Rafael Nadal, precisamente o jogador que a partir de segunda-feira estará, novamente, no topo.

Mesmo sem jogar — inicialmente tinha planeado uma ida ao Queen’s Club, mas depois de vencer mais uma vez em Roland Garros foi aconselhado a descansar –, o espanhol conseguiu recuperar o lugar que até aqui ocupou por 177 semanas. Tudo porque o suíço era o campeão em título do ATP 500 de Halle, na Alemanha, e estava, por isso, obrigado a defender todos os pontos, tendo perdido na grande final para Borna Coric este domingo.

Assim, na segunda-feira Rafael Nadal terá uma vantagem de 50 pontos sobre Roger Federer, que à semelhança da última vez que por lá passara volta a só estar no primeiro lugar por uma semana (é, no entanto, o recordista, com 310). Mas há boas notícias para o helvético, que brevemente celebrará o 37.º aniversário: será ele o primeiro cabeça de série em Wimbledon, onde também é o campeão em título.

Porque no All England Club a fórmula é outra — a organização considera os pontos ganhos pelos jogadores nos torneios de relva — e nesse capítulo é ele quem lidera confortavelmente, ou não fosse essa a sua superfície de eleição (e onde ainda esta semana chegou aos 20 triunfos consecutivos).

Em primeiro, sim, mas com muito mais a perder

Se é verdade que será Roger Federer a defender o estatuto de primeiro cabeça de série em Wimbledon, também o é que, dos dois, Rafael Nadal estará muito mais à vontade no que ao ranking diz respeito. Porque o espanhol não só chegará a Londres com a primeira posição no bolso, como tem apenas a quarta ronda (360 pontos) a defender, enquanto o suíço não poderá ganhar pontos no Grand Slam britânico — já os ganhou (2.000) há um ano, pelo que tudo o que não seja um novo título significará menos pontos na atualização do ranking que se seguir ao evento.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."