Era teu, agora é meu: Coric derrota Federer e é o novo campeão em Halle

Borna Coric
Fotografia: Gerry Weber Open_KET

Campeão com maiúscula: Borna Coric derrotou Roger Federer, por 7-6(6), 3-6 e 6-2, para se sagrar campeão do ATP 500 de Halle, na Alemanha, tirando a “coroa” ao recordista de títulos para erguer, no Gerry Weber Open, o primeiro título da carreira em superfícies relvadas.

Foi uma verdadeira semana de sonho para o jovem croata de 21 anos, que tinha iniciado a participação no torneio alemão a derrotar o segundo cabeça de série e grande estrela da casa, Alexander Zverev, e termina com um triunfo sobre o primeiro e grande favorito, Roger Federer.

Como? Com o melhor ténis da sua vida, um que já lhe tinha permitido chegar a vitórias frente a Rafael Nadal (Basileia 2014 e Cincinnati 2016) e Andy Murray (Madrid 2017) e que, quando aplicado de forma consistente, vê-se, é capaz de tudo. Porque Borna Coric soube manter-se em jogo mesmo nos momentos mais complicados, resistindo a um serviço de Federer que mesmo não fazendo muita moça poucas janelas abria — o suíço só perdeu cinco pontos no seu saque durante o primeiro parcial — e salvando dois pontos de break para vencer o primeiro set no tiebreak.

Esse primeiro set foi mesmo a chave do encontro, porque mesmo ganhando o segundo com relativa facilidade Roger Federer ficou com uma enorme montanha por escalar. E aí, o croata, mais fresco, aproveitou. A quebra de serviço, conseguida logo ao sexto jogo, colocou um ponto final nas dúvidas que ainda poderiam existir — Coric estava encaminhado e bem encaminhado para a vitória, que se traduziu no segundo título da carreira (e o mais importante) no circuito ATP.

Mudança no topo

Pela 6.ª vez em 2018, haverá um número 1 diferente. Bem, não assim tão diferente, porque é Rafael Nadal quem, com a derrota de Roger Federer na final, volta à primeira posição. O tenista espanhol optou por não jogar esta semana e, assim, colocou a “luta” na raquete do suíço, que por sua vez falhou a tarefa ao não conseguir defender os pontos conquistados, há um ano, neste mesmo palco.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."