Marat Safin: “Os jogadores hoje em dia são muito moles, muito gentis uns com os outros”

Marat Safin, um dos mais espetaculares jogadores da sua geração, tinha por hábito ser um jogador bastante temperamental em court ao longo de toda a sua carreira.

Durante uma entrevista feita ao jornal L’Equipe, o tenista russo foi desafiado a responder a diversas questões que envolviam escolhas de jogadores, como foi o caso do mais mal comportado, onde aproveitou para fazer uma crítica aos tenistas da atualidade.

John McEnroe, Vitas Gerulaitis, Guillermo Vilas… Cito ex-jogadores porque hoje em dia é diferente. Quando começas a falar mal com um adversário, ele começa a chorar, chama o árbitro de cadeira. Os jogadores tornaram-se muito moles, muito gentis uns com os outros. No entanto, se eu te bater psicologicamente antes do jogo, dois minutos antes de entrar no court, tenho mais chances de lutar contra ti no jogo, mas tudo acabou, tornaram-se todos super corretos, como pessoas da alta sociedade”, criticou o antigo número um mundial.

Quando questionado sobre o jogador que gostaria de rever, o campeão de dois títulos do Grand Slam afirmou que nenhum, visto considerar que não há amizades dentro do circuito, afirmando mesmo que é tudo encenado.

Nenhum! Não há amizade no ténis, é um tecido de mentiras. Há dinheiro em jogo, só isso. Podes ser amigo até surgirem os primeiros conflitos, no campo ou fora dele. As discussões, as fofocas que ouves no balneário, acabam com tudo. Eles odeiam-se, mas todos tentam ser bons, porque todos sabem o preço do fair-play“, referiu.

Entre outras respostas, Safin apontou ainda o jogador mais festivo, com a resposta a não merecer grandes dúvidas. “Bernard Tomic! Acho que ele tem todos os registos… pelo que ouvi de qualquer maneira. Festa ou ténis? Ele é festa, festa, festa… depois ténis”, apontou.

Total
3
Shares

Leave a Reply

Total
3
Share