Mohamed Safwat. Roland Garros ainda mal começou e já há uma grande história para contar

Mohamed Safwat

Se na final da Liga dos Campeões, que se jogou sábado em Kiev, a lesão de Mohamed Salah deixou todo um país (e não só…) em lágrimas, este domingo, em Paris, o povo egípcio volta a ter razões para celebrar: Mohamed Safwat foi o sétimo jogador a tornar-se num lucky loser na capital francesa, onde faz a estreia em quadros principais de torneios do Grand Slam.

Com a nova regra em ação, os tenistas que não estejam em plenas condições físicas recebem metade (20.000€) do prize money relativo à primeira ronda se desistirem antes de entrarem em campo. E em Roland Garros a estratégia adotada pelo consórcio dos torneios do Grand Slam está a resultar. De tal forma que Viktor Troicki se tornou no sétimo tenista masculino a desistir antes do arranque do quadro principal.

O objetivo dos responsáveis pelos quatro maiores torneios do calendário é evitar (ou pelo menos reduzir) as até aqui cada vez mais constantes desistências em plena ação na segunda ronda, uma “estratégia” adotada por muitos jogadores devido aos prémios de participação muito significativos.

Mas voltemos a Mohamed Safwat, porque é dele que se deve falar neste início de jornada. Aos 27 anos, a nova estrela do ténis egípcio (é o atual número 182 do ranking ATP) soube que ia a jogo a poucos minutos do início da jornada. E não estamos a falar de um “ir a jogo” qualquer, mas sim da sua estreia absoluta em torneios do Grand Slam e logo no palco principal, o court Philippe Chatrier, frente a um dos melhores jogadores do mundo — Grigor Dimitrov.

O ângulo pode variar, é certo, mas atendendo ao currículo de Mohamed Safwat, o egípcio pode ser considerado um verdadeiro lucky loser. Ou não estivéssemos nós a falar do primeiro tenista do Egito a competir em quadros principais de torneios do Grand Slam desde 1996, quando Tamer El Sawy o fez no US Open.

E se é verdade que o mais provável é que venha a ler este artigo quando o encontro já tiver terminado — no curto espaço de tempo em que foi feito, Safwat e Dimitrov aqueceram e o búlgaro venceu os três primeiros jogos –, também o é que este é um dia que Mohamed Safwat e o ténis egípcio nunca mais vão esquecer.

Total
1
Shares

Leave a Reply

Total
1
Share