Maputo: comitiva portuguesa esteve em grande destaque

Fotografia: LX TEAM

Foram duas semanas de muito sucesso aquelas vividas pelo contingente português presente nos dois últimos torneios internacionais de sub-18 realizados em Maputo, capital do Moçambique. Entre os principais realizados, destaque para a dupla formada por António Pragana e Bernardo Vieira: depois do vice-campeonato na semana passada, o par foi mais longe este sábado e conseguiu mesmo conquistar o primeiro título da carreira.

Sem defenderem o estatuto de pré-designados no Grade 5 moçambicano à semelhança do que já havia sucedido na semana anterior, Pragana e Vieira exibiram-se a muito bom nível e cederam apenas um set (nas meias-finais) rumo ao primeiro título das suas respetivas carreiras, título esse que foi alcançado de forma impressionante: aplicaram os parciais de 6-2 e 6-0 aos quartos cabeças de série, Tshepo Mosarwa e Bruno Nhavene.

Também na competição individual as coisas correram bem às cores das quinas: enquanto António Pragana (954.º) foi semi-finalista no primeiro evento e quarto-finalista neste último, Bernardo Vieira (1138.º) não foi além do encontro de estreia na última semana mas esta semana “vingou” esse mau resultado ao ser apenas parado nas meias-finais. Nota ainda para outro jovem luso, Bernardo Gândara, de apenas 16 anos de idade e número 1982 mundial, que venceu e perdeu um jogo em singulares em cada torneio que disputou (ficou-se pelos “oitavos” em ambos).

Falando concretamente desta semana em termos individuais, tanto Pragana (quartos de final) como Vieira (semi-finalista) só foram eliminados pelo segundo cabeça de série e eventual campeão, o sul-africano Khololwam Montsi (262.º). António Pragana, que já na semana passada havia cedido para Montsi nas “meias” (6-3 e 6-2), cedeu desta feita no top-8 mas em três sets (7-6[3], 0-6 e 7-5], e Bernardo Vieira sucumbiu pelos parciais de 6-3 e 7-6(6).

Depois desta excelente campanha no Grade 5 de Maputo por parte da comitiva nacional, nomeadamente de António Pragana e Bernardo Vieira, é expetável que os juniores lusos que estiveram em ação subam no ranking internacional desta categoria para novos máximos de carreira e que cimentem assim a sua posição no mesmo.

Total
1
Shares

Leave a Reply