Wawrinka critica organização do torneio de Genebra: “Senti desde o início que não era bem-vindo”

Fotografia: Banque Eric Sturdza Geneva Open

Stan Wawrinka pediu um wild card de última hora para disputar o torneio de Genebra, com a organização a aceder ao pedido feito pelo campeão das últimas duas edições. No entanto, apesar desse facto, a relação entre o número dois suíço e a organização do evento de categoria ATP 250 parece tensa.

Quem o diz é o próprio Wawrinka. O três vezes campeão de torneios do Grand Slam fez críticas aos responsáveis pelo torneio durante a conferência de imprensa de antevisão do evento, afirmando que não se sentiu bem recebido pelos mesmos.

“Senti desde o início que não era bem-vindo. No entanto o mais importante para mim era vir jogar à Suíça”, disse o tenista de 33 anos, referindo que esse mau ambiente foi causado por não ter chegado a acordo para um contrato que garantiria a presença de Wawrinka na prova que se disputa uma semana antes de Roland Garros.

“Sei que é complicado para o grande público ler que não assinei contrato com o torneio por motivos financeiros, mas numa negociação todas as partes devem estar satisfeitas. As pessoas não trabalham gratuitamente”, constatou.

Além deste tema, Wawrinka abordou ainda a sua presença em Genebra este ano, ele que não pediu qualquer contrapartida financeira para estar presente.

“Vou ser claro. Recusei uma oferta muito boa de Lyon. Recusei-a. Achei mais importante jogar perante o meu público. Estou aqui pelo público e pelos voluntários, pois eles foram fantásticos comigo nos anos anteriores. É uma pena não termos chegado a acordo, mas nada disso vai influenciar o meu nível de jogo”, conclui sobre o assunto.

Total
1
Shares

Leave a Reply

Total
1
Share