Bartoli: “Estou a treinar 3h30/4h por dia, mais 2h30 de trabalho físico”

Marion Bartoli .
Fotografia: Humberto de Oliveira/LP

Não aconteceu em março, como estava nos seus planos, mas o regresso de Marion Bartoli ao circuito vai mesmo acontecer (nesse mês jogou um evento de exibição em Nova Iorque). Sobre isso não restam dúvidas e a antiga campeã de Wimbledon, em entrevista do Le Parisien, explanou alguns detalhes alusivo ao trabalho árduo que tem realizado nos últimos meses.

“Chego ao Centro Nacional de Treino [da Federação Francesa de Ténis] às 9h e saio às 21h. Faço entre 3h30 e 4h de treino de ténis por dia, envergando um colete de 7 kg, mais 2h30 de trabalho físico. É muito difícil, mas ao mesmo tempo dá-me prazer. Preciso de reeducar o meu corpo para voltar a ser uma tenista profissional. Todo este sofrimento acaba por dar-me uma enorme felicidade”, começou por contar, recordando que este regresso é uma promessa que fez a si mesma.

“Quando estive hospitalizada e pesava apenas 41 kg, eu jurei a mim própria que se voltasse a estar novamente saudável, tentaria regressar aos courts“, disse a francesa de 33 anos, que se encontra a trabalhar com Rodolphe Gilbert (treinador), Cyril Brechbuhl (preparador físico) e Paul Duraud (fisioterapeuta).

A conquista do torneio de Wimbledon (2013) é o apogeu da carreira desportiva de Marion Bartoli. Mas além daquele prestigiado troféu, tem no currículo mais sete títulos de campeã e o orgulho inestimável de ter feito parte da equipa francesa da Fed Cup que disputou a final de 2004.

“Tive a oportunidade de jogar nos courts mais prestigiados do mundo e de ter sido selecionada para jogar a Fed Cup. Seria algo incrível poder voltar a viver esses momentos, mas nesta altura o caminho ainda é longo. Terei sucesso quando voltar a disputar um encontro no circuito. Jogar o meu primeiro duelo será a minha maior vitória”, sublinhou.

E a família é o suporte vital para tudo. “O mais importante para o meu pai é que eu seja feliz naquilo que faço, seja nesta tentativa de regressar ao ténis ou a fazer outra coisa qualquer. Ele apoia-me em todas as minhas decisões”, destacou.

João Correia
Licenciado em Sociologia e Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação (ISCTE). Privilegiado por viver numa das melhores eras da história da modalidade. Contacto: joaocorreia@raquetc.com