Tiago Cação: “Sei que posso ganhar a qualquer jogador daqui. Não me intimido com rankings”

CARCAVELOS – Após protagonizar a surpresa do dia ao superiorizar-se frente ao sétimo cabeça de série, o wild card Tiago Cação esteve à conversa com o RAQUETC, tendo falado acerca do seu momento de forma, com destaque natural para as recentes vitórias sobre adversários mais cotados e experientes.

“Já começo a ter alguma experiência a este nível frente a adversários do top 300 e 200. Isso traz confiança para o meu ténis”, começou por explicar. “Na minha cabeça sei que posso ganhar a qualquer jogador daqui. Ou mesmo se perder, na minha cabeça estou confiante e não me intimido com rankings“, atirou.

Relativamente ao duelo desta terça-feira — apesar de uma primeira partida de sentido único dominada por Cação –, o holandês Boy Westerhof foi capaz de reagir conquistando o segundo set. Perante a subida de rendimento do adversário, o jovem português enfatizou a tranquilidade como chave para resolver o encontro.

“O ténis é sempre traiçoeiro, mas mantive a calma. Numa terceira partida tudo pode acontecer. Eu estava cansado mas obviamente ele também. Tentei entrar o mais forte possível”, recordou pertinentemente, sendo que conquistou o break logo ao primeiro jogo do set decisivo.

No que toca ao próximo adversário, o jogador de Peniche já sabe que terá pela frente um adversário teoricamente mais acessível do que o anterior. Contudo, como elucida, qualquer deslize de concentração pode ser fatal. “Acho que às vezes estes jogos são os mais difíceis porque podemos entrar mais relaxados. Não posso cometer esse erro e vou entrar em campo como se se tratasse de uma final“, sublinhou.

Finalmente, numa altura em que o teenager de 20 anos atravessa um bom momento de forma estabelecendo um novo máximo de carreira (852.º), Cação afirma que a subida no ranking sempre se tratou de um objetivo definido, tendo inclusivamente todas as condições para ser ultrapassado.

No inicio da época tracei como objetivo o top 600. Mas não estava à espera que este início de ano me fosse correr tão bem, porque é uma altura mais difícil para ganhar pontos. Portanto espero alcançar esse objetivo já a meio do ano, no verão“, concluiu.

António Vieira
Natural de Lisboa e licenciado em Gestão, vê no Ténis uma extraordinária modalidade com vasto potencial a ser explorado em Portugal. Tem como principal objetivo a contribuição no seu crescimento partilhando com o Mundo a sua espetacularidade.