Mats Wilander: “O ténis precisa de tipos como Sandgren”

Mats Wilander 2

A presença de Tennys Sandrgen (97.º) nos oitavos de final do Australian Open é uma das surpresas do torneio, desde logo porque o norte-americano nunca havia ultrapassado a eliminatória inaugural de um torneio do Grand Slam. A juntar isso, viu o seu caminho cruzado com Stan Wawrinka na segunda ronda, mas alheio à débil condição física que o suíço apresenta nesta altura somou aquela que é a sua maior vitória da carreira.

Esta segunda-feira, Sandgren vai procurar escrever a letras de ouro mais um capítulo desta odisseia em Melbourne Park, precisando para isso de eliminar mais um dos pesos pesados do circuito, o austríaco Dominic Thiem.

Mas independentemente do resultado que se verificar no frente a frente com o número 5 mundial, Sandgren guardará para sempre no baú das recordações a sua campanha na 106.ª do Grand Slam australiano. E para Mats Wilander, atualmente a desempenhar funções de comentador no Eurosport, jogadores como Tennys Sandgren fazem falta no circuito.

“É ótimo para Tennys, e para o ténis. Ele percorreu o caminho mais difícil, disputando o circuito universitário, torneios Future e Challenger. Isso mostra que é possível um tenista do top 100 ou 200 chegar à segunda semana de um Grand Slam. Mostra que se o esforço for contínuo, então poderás ter o teu dia”, afirmou Wilander, em declarações à Reuters.

Três vezes campeão do Australian Open na década de 80, Wilander considera que a modalidade pode assemelhar-se mais ao golfe. “[Prestação de Sandgren] Ajuda a ilustrar aos fãs quão profundo o ténis pode ser e talvez o ténis possa tornar-se um pouco mais como o golfe. Sim, o PGA Tour beneficia com as suas estrelas, mas tem todo um lote de jogadores que pode vencer qualquer evento. É por isso que o ténis precisa de tipos como Sandgren”, concluiu.

Total
1
Shares
Total
1
Share