Venus, Stephens e Sock ficam pelo caminho e confirmam início desastroso para o ténis norte-americano

Venus Williams

Não está a ser um início de Australian Open nada promissor para o ténis norte-americano, que ao longo das primeiras horas de ténis de torneios do Grand Slam em 2018 já viu cair muitas das suas estrelas.

Os resultados falam por si: no quadro feminino, as oito primeiras jogadoras norte-americanas a entrarem em ação saíram todas derrotadas; e na competição masculina o país viu caírem os seus dois grandes nomes.

Finalista há um ano, Venus Williams não conseguiu dar seguimento à excelente temporada de 2017 e, aos 37 anos, viu a suíça Belinda Bencic vencer o encontro mais aguardado da jornada em plena Rod Laver Arena. Em boa forma depois de uma ausência prolongada devido a lesão, a jovem suíça aproveitou o embalo ganho na Hopman Cup, ao lado de Roger Federer, para surpreender a ex-número 1 mundial e vencer por 6-3 e 7-5.

Antes, já Sloane Stephens tinha ficado pelo caminho. De volta aos grandes palcos pela primeira vez desde a vitória inesperada no US Open, a número 13 mundial esteve perto de reencontrar o caminho das vitórias, mas acabou a sofrer a reviravolta e ver a sua série negativa prolongar-se no tempo.

A responsável? Zhangh Shuai (34.º), que confirmou um sorteio muito difícil para a campeã em Nova Iorque e venceu, por 2-6, 7-6(2) e 6-2, para estender a série de derrotas consecutivas de Stephens para 8. Já não vence desde o US Open…

Não bastassem estes desaires de peso, os Estados Unidos da América contariam com mais seis desaires na madrugada desta segunda-feira, com o registo inicial a chegar a 0-8 no quadro feminino: Sofia Kenin, Taylor Townsend, Alison Riske, Coco Vandeweghe, CiCi Bellis e Jennifer Brady também ficaram pelo caminho.

No setor masculino, o cenário também é extremamente preocupante para aquela que é uma das maiores potências desportivas — e tenísticas. John Isner, o melhor e mais consistente jogador dos EUA nos últimos anos, viu o tenista da casa Matthew Ebden ficar com a vitória ao cabo de quatro parciais (6-4, 3-6, 6-3 e 6-3).

Uma situação, aliás, semelhante àquela por que passou Jack Sock. Depois de um final de 2017 tremendo, em que conquistou o Masters 1000 de Paris e chegou às meias-finais do ATP Finals, o número 9 mundial está a ter um início de ano para esquecer: caiu aos pés de Yuichi Sugita no encontro de estreia (6-1, 7-6[4], 5-7 e 6-3), isto poucos dias depois de ter dado que falar pelas piores razões em Auckland.

À data da publicação deste artigo (8h19), o único “sobrevivente” era Ryan Harrison, que entrou a ganhar no primeiro Grand Slam do ano ao bater Dudi Sela por 6-3, 5-7, 3-6, 7-5 e 6-2.

Total
2
Shares
Total
2
Share