Maria João Koehler e Rui Machado são campeões nacionais absolutos

Habitualmente disputado nos últimos meses do ano civil, o Campeonato Nacional Absoluto foi esta temporada discutido entre os dias 15 e 21 de setembro nos courts de terra batida ao ar livre do Clube de Ténis do Estoril, que contou com o apoio de diversos patrocinadores e a presença de muitos espectadores no último dia do torneio (que se junta ao Campeonato Nacional de Padel, ainda por terminar, na nova iniciativa ‘Semana do Ténis e do Padel’) para ser fechado da melhor forma possível.
Com um prize-money total de 20.000 euros (12.000 para a vertente masculina e 8.000 para a feminina), o torneio contou com o regresso de Rui Machado e nova participação de Maria João Koehler, grande figura das últimas edições, que encabeçavam assim os quadros principais de singulares de um evento que contava com a presença de mais seis atletas com ranking mundial profissional.
Maria João Koehler sagra-se pentacampeã nacional
Sem grandes surpresas, Maria João Koehler voltou a celebrar uma vitória num quadro principal de singulares femininos de um Campeonato Nacional Absoluto, somando assim o seu quinto triunfo consecutivo em finais e conquistando qualquer coisa como 2.000 euros em prémios monetários.
Regressada de Nova Iorque semanas antes, depois de falhar a participação no WTA International do Quebec devido a uma amigdalite e a febres altas, como divulgou na sua página no Facebook, a tenista portuense de vinte anos (114ª classificada no ranking mundial) foi superior a todas as adversárias ao longo da semana e acabou a prova sem ceder qualquer set, confirmando o estatuto de primeira cabeça de série ao derrotar na grande final Bárbara Luz, pelos parciais de 6-1 6-2.
Até à final, Bárbara Luz (segunda candidata ao título e 475ª posicionada na tabela WTA) não tinha cedido qualquer set: começou por derrotar Beatriz Abreu por 6-2 6-2, depois Patrícia Martins por 6-1 6-0 e, por fim, Joana Valle Costa nas meias-finais, por 7-6(3) 6-4. Quanto a Koehler, contava com triunfos sobre Raquel Mateus (6-4 6-0), Rita Vilaça (6-1 7-6[4]) e Maria Tavares (6-2 6-2).
Após o encontro de hoje, que como todas as outras finais foi disputado no Court Central Geza Torok, Maria João Koehler confessou que o resultado não transmitiu o que se passou dentro de campo: “A Bárbara fez um ótimo percurso até à final e esteve bem neste encontro, o resultado não corresponde ao que se passou no jogo.” Por fim, a pupila de Nuno Marques mostrou-se ainda muito satisfeita e deixou um elogio às restantes jogadoras: “Ganhei todos os encontros em dois sets, mas tive alguns momentos em que senti dificuldades. Há boas jogadoras e com uma boa margem de progressão.”
 
Luz já havia sido vice-campeã no Campeonato Nacional Absoluto de 2011, quando perdeu a final disputada no Open Village Sports de Mesão Frio, em Guimarães, também para Koehler.
Rui Machado volta a vencer um Nacional no Estoril
Melhor jogador português do ano de 2011, época em que atingiu o 59º posto no ranking mundial masculino, Rui Machado terminou a semana no Clube de Ténis do Estoril com mais um título de Campeão Nacional Absoluto conquistado (já havia vencido as edições de 2005 e 2008) e 2.400 euros conquistados.
Actualmente no 303º posto do ranking ATP e à procura de recuperar posições numa época em que as lesões voltaram a perturbar a sua progressão, o jogador algarvio de vinte e nove anos mostrou-se sempre mais forte e nunca esteve em risco de perder um parcial, fechando o resultado final do derradeiro encontro (disputado pelos dois primeiros cabeças de série) a 7-5 6-1.
João Domingues, segundo candidato ao título e 565º classificado na hierarquia individual masculina, vinha de lesão e conseguiu recuperar a tempo de se estrear da melhor forma no evento, ao derrotar Miguel Deus (6-1 6-0) e Gonçalo Pereira (6-4 6-1) em sets directos, depois de ter tido um bye na primeira ronda; nas foi nas meias-finais que o jogador de Oliveira de Azeméis perdeu a sua única partida até ao derradeiro encontro, deixando para trás Francisco Ramos por 6-0 6-7(5) 7-5; já Rui Machado, não perdeu qualquer set em todo o torneio e venceu nos seus primeiros encontros Manuel Leite (6-0 6-2), Gonçalo Falcão (6-1 6-0) e José Ricardo Nunes (6-1 6-0).
Em conferência de imprensa, na qual o Ténis Portugal esteve presente, Rui Machado admitiu que “ser campeão nacional absoluto é sempre uma honra” e também “um primeiro passo para relançar a carreira”, depois de, também em 2008, ter ganho o título antes de regressar na melhor forma ao circuito mundial.
Esta foi a segunda final de João Domingues em quadros principais de singulares do Campeonato Nacional Absoluto, depois de no ano de 2011 ter levado a melhor sobre Gonçalo Falcão.
Fotografias de Duarte Navarro / Ténis Portugal

Total
0
Shares
Total
0
Share