Torneio da Maia confirma recorde de Challengers em Portugal no séc. XXI

Complexo-de-Ténis-da-Maia

Foi uma espera longa, mas a Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) oficializou esta semana a realização de um torneio do ATP Challenger Tour na cidade da Maia. Trata-se do regresso do ténis profissional ao mais alto nível a uma localidade com muita tradição no panorama nacional — e assim se fará história no século XXI.

Porque o Challenger da Maia se vai juntar aos que já este ano aconteceram em Braga (Braga Open) e Lisboa (Lisboa Belém Open), Portugal contará com três eventos da categoria no calendário pela primeira vez desde o ano de 2000.

Curiosamente, nessa temporada Lisboa (25.000 dólares) e Maia (125.000 dólares) também serviram de palcos a duas das três provas. Em 2019, a grande diferença assenta no prize-money que os três eventos distribuirão: 46.600 euros cada.

Quanto ao maior número de torneios Challenger realizados num só ano em Portugal, data de 1988: foram nada mais, nada menos do que oito provas entre Madeira (uma de 75.000 dólares, outra de 25.000), Vilamoura (25.000), Lisboa (50.000), Porto (50.000), Açores (25.000), Estoril e Cascais (ambas dotadas de 75.000 dólares em prémios).

Em declarações ao Raquetc, Vasco Costa, Presidente da Federação Portuguesa de Ténis, explicou que se vai tratar de “uma organização da Federação Portuguesa de Ténis em conjunto com a Câmara Municipal da Maia, que é a grande apoiante e parceira do torneio.”

O responsável federativo reiterou a vontade a aumentar ainda mais o número de provas deste nível em solo português — inclusive com uma em piso rápido — e afirmou que este acréscimo “está naturalmente relacionado com a subida de nível dos nossos jogadores nos últimos anos. Hoje em dia já temos vários jogadores de nível Challenger e por isso a Federação quer acompanhar essa evolução e dar-lhes uma oportunidade extra de jogarem em casa e melhorarem os rankings.”

Sobre a prova maiata, especificamente, Vasco Costa destacou que o acontecerá numa semana (18 a 24 de novembro) “especial” do calendário do circuito masculino. “No ano passado apercebemo-nos de que o Rio de Janeiro desistiu [de organizar um torneio] e como é uma das últimas a contar para a entrada no Australian Open e em terra batida na Europa esperamos ter um quadro bastante forte. Esperamos que consiga ajudar alguns portugueses que estão ali à porta.”

AnoLocalPrize-moneyData de inícioSuperfície
2019Maia46.000€18 de novembroTerra Batida
Lisboa46.000€13 de maioTerra Batida
Braga46.000€6 de maioTerra Batida
2018Lisboa43.000€14 de maio Terra Batida
Braga43.000€7 de maioTerra Batida
2017Lisboa43.000€12 de junhoTerra Batida
2013Guimarães42.500€22 de julhoPiso Rápido
2002Maia50.000$23 de setembroTerra Batida
2001Maia50.000$24 de setembroTerra Batida
Espinho25.000$19 de marçoTerra Batida
2000Espinho50.000$12 de junhoTerra Batida
Maia125.000$24 de abrilTerra Batida
Lisboa25.000$13 de marçoTerra Batida
1999Maia50.000$7 de junhoTerra Batida
Espinho25.000$26 de abrilTerra Batida
1998Porto50.000$28 de setembroTerra Batida
Espinho25.000$20 de abrilTerra Batida
1997Espinho25.000$8 de setembroTerra Batida
Açores50.000$1 de setembroPiso Rápido
1996Porto50.000$16 de setembroTerra Batida
Açores50.000$2 de setembroPiso Rápido
1995Açores50.000$4 de setembroPiso Rápido
1994Açores50.000$5 de setembroPiso Rápido
Porto50.000$27 de junhoTerra Batida
1993Porto50.000$20 de setembroTerra Batida
Açores50.000$6 de setembroPiso Rápido
Porto50.000$28 de junhoTerra Batida
1992Açores50.000$7 de setembroPiso Rápido
Porto50.000$29 de junhoTerra Batida
Porto50.000$20 de abrilTerra Batida
1991Madeira50.000$16 de setembroPiso Rápido
Açores50.000$9 de setembroPiso Rápido
Porto50.000$1 de julhoTerra Batida
Lisboa50.000$22 de abrilTerra Batida
Porto50.000$15 de abrilTerra Batida
1990Açores50.000$10 de setembroPiso Rápido
Porto100.000$16 de abrilTerra Batida
1989Lisboa75.000$24 de abrilTerra Batida
Porto75.000$17 de abrilTerra Batida
Tróia75.000$3 de abrilPiso Rápido
Vilamoura50.000$20 de marçoPiso Rápido
Madeira25.000$13 de marçoPiso Rápido
1988Cascais75.000$5 de dezembroCarpete
Estoril75.000$3 de outubroPiso Rápido
Açores25.000$29 de agostoPiso Rápido
Porto50.000$11 de julhoTerra Batida
Lisboa50.000$25 de abrilTerra Batida
Vilamoura25.000$18 de abrilPiso Rápido
Madeira25.000$4 de abrilPiso Rápido
Madeira75.000$7 de marçoPiso Rápido
1987Estoril50.000$28 de setembroTerra Batida
Porto25.000$27 de abrilTerra Batida
Lisboa25.000$20 de abrilTerra Batida
1986Lisboa25.000$7 de abrilTerra Batida
1982Lisboa25.000$12 de junhoTerra Batida
Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."