Challengers de Braga e Lisboa voltam a jogar-se logo a seguir ao Millennium Estoril Open

Se dúvidas houvesse, a Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) dissipou-as. Os Challengers de Braga e Lisboa vão disputar-se nas semanas imediatamente a seguir ao Millennium Estoril Open, tal como aconteceu no ano de 2018.

A grande diferença é que em 2019, devido às alterações feitas pela ATP às provas Challenger (passam a ser disputados ao longo de sete e não nove dias, entre outras mudanças), os torneios não vão coincidir nos fins de semana das finais/fases de qualificação: o Millennium Estoril Open joga-se de 27 de abril a 5 de maio, o Braga Open de 6 a 12 de maio e o Lisboa Belém Open de 13 a 19 de maio.

Um é caso isolado, os outros aguardam companhia

Enquanto o Millennium Estoril Open (organizado pela 3Love no Clube de Ténis do Estoril pelo quinto ano consecutivo) continuará a ser o único evento do ATP Tour a acontecer em Portugal, é possível que quer o torneio do Clube de Ténis de Braga (organizado em conjunto com a Federação Portuguesa de Ténis) quer o do Club Internacional de Foot-Ball (levado a cabo por Manuel de Sousa) recebam companhia, como contou Vasco Costa ao Raquetc a propósito de um balanço ao ano de 2018. Provavelmente no Porto e na região do Algarve.

E a concorrência?

Já se sabe que este ano o Millennium Estoril Open terá apenas um concorrente — o ATP 250 de Munique, porque o torneio de Istambul desapareceu do calendário. Mas e os torneios Challenger?

O Braga Open, que será da categoria mais baixa (Challenger 80, ou seja, 80 pontos para o vencedor e 54.160€ em prémios monetários divididos por todos os jogadores), será disputado na mesma semana que outros quatro torneios daquele circuito: Shymkent, Cazaquistão (80), Roma, Itália (90), Busan, Coreia do Sul (125) e Aix en Provence, França (125, considerado um dos melhores do calendário).

A grande vantagem do torneio é disputar-se na semana imediatamente a seguir a um ATP 250 no mesmo país, o que em 2018 fez com que jogadores como Alex de Minaur e Félix Auger-Aliassime (duas estrelas da nova geração) jogassem quer no Estoril, quer em Braga.

Já o Lisboa Belém Open, também da categoria 80, disputa-se ao mesmo tempo que as provas de Samarkand, Uzbequistão (80), Gwangju, Coreia do Sul (de 80) e Heilbronn, Alemanha (100, eleito esta quinta-feira um dos melhores eventos do circuito pelos jogadores).

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."