23 portugueses vão sair dos rankings ATP e WTA no último dia do ano

Portugal
Alterações afetam praticamente todos os tenistas lusos e terão influência no acesso aos torneios | Fotografia: Fernando Correia/FPT

Um ranking divide-se em dois, centenas de jogadores perdem a classificação e o ténis sofre uma revolução como há muito não via. As mudanças acordadas entre a ITF, a ATP e a WTA entram em efeito no último dia do ano e afetam a maioria dos tenistas portugueses. 

A 31 de dezembro, o ténis como o conhecemos deixará de ser o mesmo. Entre torneios, pontos e rankings, as mudanças vão ser muitas. Algumas fáceis de interiorizar, outras nem por isso e continuam a dar muito que falar.

Ponto base: no circuito feminino, os torneios de 15.000 dólares deixarão de oferecer pontos WTA; no circuito masculino, não só os torneios de 15.000 dólares como os de 25.000 dólares (até às finais) e os de 25.000 dólares + hospitalidade (excluindo as meias-finais e finais) deixarão de dar pontos ATP. Em 2020, os jogadores só conseguirão mesmo pontuar para o ranking ATP em torneios de categoria Challenger ou superiores.

A “revolução” surge do acordo entre a Federação Internacional de Ténis (ITF), a Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) e a Associação de Ténis Feminino (WTA). “As pesquisas efetuadas demonstram que há mais de 14.000 jogadores a competir anualmente em torneios profissionais mas apenas 350 homens e 250 mulheres conseguem alcançar um equilíbrio financeiro não considerando os custos dos treinadores.”

Nesse sentido, as três entidades querem garantir que mais tenistas conseguem ganhar a vida com o ténis. E para isso vão fazer ajustes significativos

Como: no dia 31 de dezembro, todos os pontos ATP ganhos em Futures de 15.000 e 25.000 dólares (à exceção das finais e, no caso dos 25.000 dólares + hospitalidade, meias-finais e finais) serão convertidos e adicionados ao ITF World Tennis Ranking. No circuito feminino, o mesmo procedimento mas apenas com os pontos ganhos em torneios de 15.000 dólares.

Na prática, isto significa que no último dia de 2018 cerca de 1.250 homens e 500 mulheres vão desaparecer dos rankings.

Entre eles, 23 jogadores portugueses (de um total de 40) deixarão de ter classificação ATP e WTA [tabelas disponíveis mais abaixo].

Mas os jogadores e jogadoras não serão totalmente excluídos: apesar de deixarem os rankings ATP e WTA, serão adicionados ao ITF World Tennis Ranking — o tal novo ranking da Federação Internacional de Ténis, que para os melhores classificados será uma nova forma de acederem a torneios de categoria superiores, como Challengers.

Confuso? É natural. Se nesta altura ainda tem dúvidas, faça uma pausa, releia e prepare-se para o resto, porque as mudanças não se ficam por aqui: se muitos dos jogadores passarão a ter apenas ITF World Tennis Ranking, muitos serão aqueles que terão quer uma classificação ITF quer uma classificação ATP/WTA.

44. João Sousa, 1.107 pontos
104. Pedro Sousa, 548 pontos
240. João Domingues, 218 pontos
250. Frederico Silva, 209 pontos
296. Gonçalo Oliveira, 162 pontos
304. Gastão Elias, 157 pontos
320. João Monteiro, 137 pontos
325. Fred Gil, 135 pontos
396. Tiago Cação, 100 pontos
455. Nuno Norges, 80 pontos
855. Bernardo Saraiva, 21 pontos
963. Daniel Batista, 14 pontos
1056. Francisco Cabral, 10 pontos
1088. Luís Faria, 9 pontos
1331. Francisco Franco Dias, 4 pontos
1381. Pedro Araújo, 3 pontos
1391. André Gaspar Murta, 3 pontos
1413. Duarte Vale, 3 pontos
1487. Gonçalo Falcão, 3 pontos
1487. Martim Leote Prata, 3 pontos
1596. Fábio Coelho, 2 pontos
1743. Alexandre Ribeiro, 1 ponto
1902. João Graça, 1 ponto
1902. Afonso Salgado, 1 ponto
1970. Daniel Rodrigues, 1 ponto
2008. Tomás Almeida, 1 ponto
2008. Gonçalo Ferreira, 1 ponto
2008. Miguel Semedo, 1 ponto

44. (0) João Sousa, 1.107 pontos
104. (0) Pedro Sousa, 548 pontos
225. (+15) João Domingues, 223 pontos
264. (+40) Gastão Elias, 159 pontos
283. (+13) Gonçalo Oliveira, 138 pontos
325. (-75) Frederico Silva, 80 pontos
404. (-84) João Monteiro, 31 pontos
561. (-236) Fred Gil, 7 pontos
632.(-236) Tiago Cação, 2 pontos
634. (-179) Nuno Norges, 1 ponto

13. Frederico Silva, 823 pontos
27. Fred Gil, 699 pontos
40. João Monteiro, 630 pontos
62. Tiago Cação, 568 pontos
107. Nuno Borges, 470 pontos
409. Gonçalo Oliveira, 198 pontos
606 Bernardo Saraiva, 118 pontos
728. Daniel Batista, 81 pontos
871. Luís Faria, 52 pontos
882. Francisco Cabral, 51 pontos
1002. Guilherme Osório, 37 pontos
1062. Francisco Franco Dias, 34 pontos
1134. Martim Leote Prata, 30 pontos
1152. Gonçalo Falcão, 28 pontos
1254. Pedro Araújo, 23 pontos.
1293. Duarte Vale, 21 pontos
1345. Fábio Coelho, 19 pontos
1449. Tomás Almeida, 16 pontos
1473. Gonçalo Ferreira, 15 pontos
1487. André Gaspar Murta, 14 pontos
1627. Afonso Salgado, 11 pontos
1777. João Graça, 8 pontos
1783. Miguel Semedo, 8 pontos
1911. António Pragana, 6 pontos
1921. André Rodeia, 6 pontos
2027. Simão Alves, 5 pontos
2047. Alexandre Ribeiro, 4 pontos
2165. João António, 4 pontos
2285. Manuel Gonçalves, 3 pontos
2314. Daniel Rodrigues, 3 pontos
2320. José Ricardo Nunes, 3 pontos
2327. Paulo Fernandes, 3 pontos
2327. Tiago Torres, 3 pontos
2350. Afonso Portugal, 3 pontos
2554. Henrique Osório, 2 pontos
2849. Tiago Rodrigo Fernandes, 1 ponto
2849. Pedro Vide, 1 ponto
3010. Santiago Gil, 1 ponto
2010. Henrique Petiz, 1 ponto
3207. Duarte Nuno Teixeira, 1 ponto
3207. Francisco Oliveira, 1 ponto
3207. Bernardo Gandara, 1 ponto
3323. Bernardo Serra Vieira, 1 ponto
3323. Miguel Gomes, 1 ponto
3399. Pedro Graça, 1 ponto
3456. Valentin de Carvalho, 1 ponto

556. Francisca Jorge, 51 pontos
632. Maria João Koehler, 37 pontos
702. Inês Murta, 29 pontos
1016. Sara Lança, 9 pontos
1068. Cláudia Gaspar, 7 pontos
1089. Maria Inês Fonte, 7 pontos
1089. Ana Filipa Santos, 7 pontos
1129. Lúcia Quitério, 6 pontos
1235. Joana Valle Costa, 3 pontos
1235. Cláudia Cianci, 3 pontos
1235. Leonor Oliveira, 3 pontos
1235. Inês Teixeira, 3 pontos

618. (+85) Inês Murta, 23 pontos
629. (+4) Maria João Koehler, 21 pontos
650. (-101) Francisca Jorge, 19 pontos 
795. (+219) Sara Lança, 7 pontos
847. (+283) Lúcia Quitério, 3 pontos
847. (+387) Joana Valle Costa, 3 pontos
847.(+387) Cláudia Cianci, 3 pontos

80. Francisca Jorge, 244 pontos
235. Maria João Koehler, 122 pontos
687. Inês Murta, 30 pontos
725. Ana Filipa Santos, 26 pontos
730. Maria Inês Fonte, 25 pontos
971. Lúcia Quitério, 13 pontos
1057. Sara Lança, 11 pontos
1121. Cláudia Cianci, 9 pontos
1149. Mariana Campino, 8 pontos
1222. Inês Teixeira, 7 pontos
1340. Daniella Silva, 6 pontos
1426. Michelle Larcher de Brito, 4 pontos
1547. Cláudia Gaspar, 4 pontos
1547. Leonor Oliveira, 4 pontos
1547. Camila Garcia, 4 pontos
1723. Maria Santos, 2 pontos
1857. Rita Pinto, 2 pontos
1885. Beatriz Neves, 2 pontos
1991. Marta Simões, 1 ponto
2128. Catarina Zheng, 1 ponto
2128. Carolina Azadinho, 1 ponto
2238. Stephanie Bertschmann, 1 ponto
2312. Joana Baptista, 1 ponto
2312. Bárbara Balancho, 1 ponto
2368. Madalena Peneda, 1 ponto

Todas estas mudanças têm influência na forma como os tenistas passarão a aceder aos quadros principais dos torneios de categorias inferiores.

Torneios M15 e W15:

  • 13 entradas diretas para jogadores/as com ranking ATP/WTA
  • 4 entradas diretas para jogadores/as com ITF World Tennis Ranking
  • 5 lugares reservados para juniores
  • 4 wild cards
  • qualifiers (qualifying reduzido a 24 jogadores/as: 22 com ITF World Tennis Ranking e 2 com ranking nacional;

 

Torneios M25 e W25:

  • 17 entradas diretas para jogadores/as com ranking ATP/WTA
  • 5 lugares reservados para jogadores/as com ITF World Tennis Ranking
  • wild cards
  • qualifiers (qualifying composto por jogadores/as com ranking ATP/WTA e 4 wild-cards)

 

Nova distribuição dos pontos no circuito masculino:

Nova distribuição dos pontos ITF (nos torneios superiores os pontos WTA não sofrem alterações):

E não, as mudanças não se ficam por aqui: em coordenação com a ITF, a ATP também vai proceder a alterações nos torneios Challenger. Pode recordá-las aqui ou seguir a explicação: 

À semelhança do que acontece no ATP World Tour, também no ATP Challenger Tour os torneios serão designados de acordo com a categoria a que pertencem (e pontos que oferecem ao vencedor): ATP Challenger 70, 80, 95, 110 ou 125.

Em termos práticos, há três alterações significativas:

  • Os quadros principais vão aumentar de 32 para 48 jogadores (ou seja, serão quadros de 64 com 16 byes na primeira ronda), dos quais quatro serão jogadores com ITF World Tennis Ranking.
  • As fases de qualificação serão reduzidas a quatro jogadores (três com ITF World Tennis Ranking);
  • Os torneios vão ser reduzidos a 7 dias, ou seja, vão jogar-se apenas de segunda-feira a domingo (qualifying incluído).
  •  
Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."