Presidente da USTA pediu desculpa ao árbitro português Carlos Ramos

Carlos Ramos com Serena Williams
Na imagem, um dos momentos de discussão de Serena Williams com Carlos Ramos.

Cinco dias depois da polémica final feminina do US Open, porque o ténis nunca pára, o árbitro português Carlos Ramos já está em Zadar. E com ele está, também, Katrina Adams, a Presidente da United States Tennis Associatio— ou não fosse a ocasião a meia-final da Taça Davis entre Croácia e Estados Unidos da América.

Esta quinta-feira, realizou-se a habitual cerimónia do sorteio da eliminatória onde todos os elementos oficiais marcam presença. E, segundo o jornalista Andrew Dampf (correspondente da Associated Press em Itália desde 2002), Katrina Adams terá sido ouvida a pedir desculpa ao árbitro português.

Em causa estão as declarações da responsável máxima pela Federação de Ténis Norte-Americana, que organiza o US Open, na ressaca dos acontecimentos entre Serena Williams e Carlos Ramos.

Na altura, Katrina Adams defendeu a tenista norte-americana, elogiando a tenista de 36 anos e ignorando as atitudes da mesma para com Carlos Ramos, a que se seguiu uma entrevista à ESPN onde já comentou o assunto, tendo afirmado que o oficial português não tinha agido de forma correta num momento tão crítico.

Artigos relacionados:

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."