Djokovic regressa ao top 3, João Sousa ao top 50 e Cação estreia-se nos 500 primeiros

Novak Djokovic
Fotografia: USTA/Darren Carroll

São duas das grandes alterações da semana no ranking do ATP World Tour: com a conquista do US OpenNovak Djokovic está de volta ao terceiro lugar da classificação masculina, enquanto o português João Sousa volta a posicionar-se entre os 50 melhores do mundo.

Fruto de dois meses praticamente perfeitos, em que conquistou Wimbledon, o Masters 1000 de Cincinnati e o US Open, Novak Djokovic já soma 6.445 pontos e esta segunda-feira sobe três posições na tabela, ultrapassando Juan Martin del Potro (adversário que derrotou na final), Alexander Zverev e Kevin Anderson (o finalista de 2017, que desceu do 5.º para o 9.º lugar).

Desta forma, os três melhores jogadores da atualidade — e da história — voltam a estar “colados” na liderança do ranking (algo que não acontecia desde abril de 2015), dado que Rafael Nadal se mantém na primeira posição seguido de Roger Federer.

Em destaque estão, também, Kei Nishikori, que com a chegada às meias-finais em Flushing Meadows escala do 19.º para o 12.º lugar, e John Millman — o nome mais surpreendente desta edição do torneio, que sobe 18 posições para chegar ao 37.º lugar.

Mas a maior subida entre os jogadores do top 50 mundial é protagonizada por João Sousa. O tenista vimaranense tornou-se no primeiro português da história a chegar à quarta ronda de um torneio do Grand Slam (só foi travado pelo futuro campeão) e com isso garantiu a subida de 19 lugares na tabela, passando da 68.ª para a 49.ª posição.

No panorama nacional, e em vésperas de Taça Davis, o número 2 português, Pedro Sousa, desceu 28 lugares e é agora o 144.º, seguido de Gastão Elias (154.º), João Domingues (218.º) e Gonçalo Oliveira (268.º), os restantes elementos dentro do top 300 mundial. É também importante referir a entrada inédita de Tiago Cação no top 500 mundial, com o jogador natural de Peniche a posicionar-se no 489.ª lugar.

1. Rafael Nadal, 8.760 pontos
2. Roger Federer 6.900 pontos
3. Novak Djokovic, 6.445 pontos
4. Juan Martin del Potro, 5.980 pontos
5. Alexander Zverev, 4.890 pontos
6. Marin Cilic, 4.715 pontos
7. Grigor Dimitrov, 3.755 pontos
8. Dominic Thiem, 3.665 pontos
9. Kevin Anderson, 3.595 pontos
10. John Isner, 3.470 pontos

12. Kei Nishikori, 2.475 pontos
20. Milos Raonic, 1.755 pontos
37. John Millman, 1.233 pontos
49. João Sousa, 986 pontos

88. Stan Wawrinka, 650 pontos

144. Pedro Sousa, 395 pontos
154. Gastão Elias, 371 pontos
218, João Domingues, 260 pontos
268. Gonçalo Oliveira, 199 pontos
309. Frederico Silva, 154 pontos
392. João Monteiro, 104 pontos
436. Fred Gil, 88 pontos
489. Tiago Cação, 73 pontos
511. Nuno Borges, 66 pontos

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."