Frederico Silva destaca maior capacidade de adaptação às condições de jogo como chave para a vitória na final

A semana de Frederico Silva na Beloura Tennis Academy terminou com mais uma vitória num torneio Future para o português. O caldense derrotou na final do BTA Futures 1 Tiago Cação, chegando aos cinco títulos na presente temporada.

Poucas horas depois de conseguir o triunfo, o tenista de 23 anos falou com o Raquetc e comentou a partida frente ao seu compatriota, destacando a maior capacidade de adaptação face às condições de jogo, como crucial para alcançar o tão desejado posto de campeão.

“Estou contente pela vitória de hoje e pelo torneio que fiz. Hoje fiz um bom jogo, assim como tinha feito ontem contra o João [Monteiro]. As condições de jogo estiveram um pouco diferentes em relação à meia-final, o vento voltou, foi preciso voltar a adaptar o jogo e estou bastante contente por ter conseguido uma vitoria em dois sets num encontro que sabia que ia ser equilibrado”, disse sobre a partida.

“Os jogos com o Tiago têm tido sempre um nível muito alto e acho que hoje voltámos a fazer um bom jogo. Consegui aproveitar o vento e as condições de jogo mais rápidas para ser mais agressivo e acabei por fazer um jogo bastante bom”, continuou o pupilo de Pedro Felner, que esta temporada já foi responsável por três derrotas de Tiago Cação em finais de torneios Future.

Frederico Silva e Tiago Cação defrontaram-se pela terceira vez este ano numa final. O mais velho dos dois jogadores saiu sempre por cima. Fotografia: BTA Futures

Sem competir desde finais de junho devido a problemas físicos, Frederico Silva revela que foi bom ter voltado com um título, mas admite que o mais importante foi ter-se sentido bem e sem limitações no decorrer da competição.

“Este titulo é importante para mim. Volta a marcar o regresso à competição depois de uns meses lesionado e ter-me sentido bem e sem dores a competir, só por si é uma vitoria. Fiquei muito contente pelo nível que apresentei no regresso à competição e os pontos ganhos vão ajudar-me a subir no ranking e a aproximar-me do meu objetivo, que é voltar aos torneios Challenger“, confessou.

E porquê a opção de disputar os Futures de 15.000 dólares de Sintra? O número 354 mundial justifica esta opção com o facto de estar perto de casa e de poder somar jogos nas pernas, ele que espera regressar ao circuito Challenger daqui a uma semana.

“Optámos por jogar este torneio porque, sendo a primeira semana após a paragem, pareceu-nos bem jogar perto de casa e daí termos pedido o wild card à ultima da hora. Na próxima semana vou voltar a jogar na Beloura e na outra semana viajo para Espanha para jogar o Challenger de Maiorca. O meu objetivo é, sem duvida, chegar o mais depressa possível ao ranking que me permita voltar a jogar Challengers”, informou o tenista das Caldas da Rainha.

Francisco Semedo
A tirar a licenciatura em Turismo na Universidade Europeia, desde cedo se interessou pelo ténis. Começou aos 9 e desde então tem um olhar atento e constante de tudo o que se passa naquela que considera ser a melhor modalidade a todos os níveis.